Homepage

  • Haleiwa ajuda a definir mais três vagas no CT masculino
    02 dezembro 2022
    arrow
  • Depois de Ramzi na véspera, esta quinta-feira foi a vez de Ian Gentil e Maxime Huscenot garantirem a estreia na elite mundial.
  • Já se sabia que Haleiwa ia ser a etapa decisiva nas contas para a qualificação do circuito mundial de 2023 e antes mesmo do final, há surfistas a confirmarem as suas vagas na elite mundial do próximo ano. Com sete vagas masculinas ainda em jogo no início do evento, três delas já ficaram com dono, sobrando ainda quatro por decidir para o dia final. E uma delas até poderá ser de Frederico Morais, caso os astros se alinhem.

    Na quarta-feira já o marroquino Ramzi Boukhiam tinha feito história ao tornar-se no primeiro representante daquele país africano a chegar ao WCT. Esta quinta-feira foi a vez do havaiano Ian Gentil, mesmo já fora de competição, beneficiar de algumas eliminações para garantir a sua vaga e também o francês Maxime Huscenot, que continua em grande forma nas ondas de Haleiwa.

    Este trio junta-se a Ryan Callinan, Rio Waida e Leonardo Fioravanti entre os surfistas já apurados. Se no primeiro lote tínhamos duas requalificações (Callinan e Fioravanti) e ainda uma jovem promessa (Waida), desta vez são três surfistas de perfil idêntico a chegar à elite mundial. Todos eles já com muitos anos de WQS em cima e todos eles rookies para a próxima temporada.

    Destaque para Maxime Huscenot, de 30 anos, que já foi campeão mundial júnior e só agora conseguiu a tão ambicionada qualificação, após mais de uma dezena de anos a lutar por ela, tal como Ramzi, de 29 anos. Por sua vez, Gentil tem apenas 26 anos, mas não deixa de ter muitas temporadas de experiência a lutar pela qualificação.

    Desta forma, faltam apenas quatro vagas por definir, sendo que os surfistas que estão dentro da bolha estão praticamente todos eliminados e a torcer por fora. É o que acontece com o australiano Liam O’Brien, o brasileiro João Chianca e o havaiano Zeke Lau, todos ex-tops do CT à procura da requalificação, depois de ter caído no cut do meio desta temporada.

    O mesmo acontece com o australiano Morgan Cibilic, com a diferença que este ainda continua em prova. Neste momento, o rookie do CT 2021 fecha virtualmente o cut, tendo já atirado o compatriota Dylan Moffat para fora destas contas. Caso Cibilic continue a avançar terá praticamente garantida uma vaga, pois deixará automaticamente o último posto e os nervos para Zeke Lau. Situação que também implicará o fim do sonho para Frederico Morais.

    Também Michael Rodrigues pode ser uma ameaça mais direta a estes surfistas que ficaram parados na bolha. Mais atrás surgem nomes como Imaikalani deVault e Gatien Delahaye, que estão obrigados a chegar longe em Haleiwa para entrarem nestas contas.

    Ainda assim, olhando para o atual cenário parece que a requalificação de Liam O’Brien parece estar presa por detalhes, pois dificilmente será ultrapassado por três surfistas. O mesmo não se pode dizer de Zeke Lau, que é o mais tremido dos surfistas na bolha de qualificação. E depois há João Chianca num meio-termo, a torcer para que o azar lhe pare de bater à porta.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Outras Notícias Relacionadas