Homepage

  • Nic von Rupp é 5º na Rip Curl Cup Padang Padang conquistada magistralmente por Clay Marzo
    04 agosto 2022
    arrow
  • A grande surpresa da prova foi a jovem Erin Brooks. Única representante do género feminino e com apenas 15 anos, a atual campeã mundial Júnior Sub-16 ISA não se acanhou nos tubos de Padang e obteve um extraordinário terceiro lugar.
  • Conforme esperado, o alerta que era laranja passou a verde e esta quinta-feira foi colocada na água a 16ª edição da Rip Curl Cup Padang Padang, o emblemático campeonato tubular indonésio, que já há mais de três anos que não se realizava por causa da pandemia do novo coronavírus.

    Na incrível esquerda de Padang, que tem o batismo de 'Pipeline de Bali', estiveram em ação 16 surfistas. Oito convidados internacionais e oito locais, que chegaram a este restrito elenco via trials.

    Com Padang a bombar, ainda que a espaços a coisa estivesse mais parada, o dia de competição foi intenso e longo, tendo a prova sido interrompida ao início da tarde antes das meias-finais, para ser retomada horas depois. Por isso, a final já terminou em pleno pôr-do-sol.

    Neste evento especial da World Surf League (WSL), Portugal esteve representado com Nic von Rupp. Numa altura em que celebrou 32 anos na passada terça-feira, Nicolau recebeu uma bela prenda ao ser convidado para entubar de licra vestida na melhor onda de Bali. Exímio tubo rider, o surfista da Praia Grande aproveitou muito bem esta oportunidade concedida.

    Nic von Rupp deixou água na boca logo na primeira onda que surfou, um tubo que foi pontuado em 9,33 pts. O goofy luso viria a vencer esse mesmo heat com o score combinado de 14,83 pts, derrotando o campeão mundial júnior ISA Luke Swanson, bem como os locais Nyoman Artana e Agus Sumertayasa.

    No heat seguinte, Nic esteve ligeiramente mais discreto, foi apenas terceiro, mas ainda assim conseguiu garantir vaga nas meias-finais, como quarto melhor tube rider após duas rondas. Na antecâmara da final, mediu forças com o norte-americano Clay Marzo, o indonésio Made Widiarta e a surpreendente Erin Brooks.

    Durante este embate, o mar esteve um pouco mais parado e Nicolau sentiu isso na pele. Na segunda fase do heat, possuiu durante largos minutos a prioridade, mas do oceano não veio aquela onda que o surfista português tanto precisava. Ficou a faltar um back-up forte. O goofy da Praia Grande necessitava apenas de 2,57 pts para destronar Erin Brooks e apurar-se para a final. Não foi possível, pelo que o Nic von Rupp teve de terminar ali a sua aventura. Para a história ficou um honroso quinto lugar na Rip Curl Cup Padang Padang 2022.

    Para a grande final apuraram-se Erin Brooks, Clay Marzo e os locais Mega Semadhi e Nyoman Artana, estes provenientes da segunda semi-final, onde o norte-americano Ian Crane e Mustofa Jekson ficaram pelo caminho. O heat de todas as decisões teve um nível altíssimo e não defraudou as expectativas.

    A vitória coube a Clay Marzo. Um triunfo que começou a ser desenhado no infortúnio do amigo Benji Brand, que havia vencido a última edição da Rip Curl Cup, realizada em 2019. Após as duas primeiras rondas, Brand estava a mostrar que queria continuar como campeão em Padang. O surfista de 26 anos apurou-se para as meias-finais como comandante do leaderboard.

    Só que uma lesão forçou Brand a abandonar a prova, na qual venceu os cinco heats que já disputou. Essa situação abriu vaga para o primeiro surfista no leaderboard que ficou fora dos oito primeiros lugares, as posições que asseguravam a ida às meias-finais.

    Esse contemplado foi o então eliminado Clay Marzo, que subitamente ganhou uma segunda oportunidade. Depois de ter sido um dos surfistas que eliminou Nic von Rupp na meia-final, Marzo teve um início lento na final. Durante os primeiros 22 minutos não surfou qualquer onda, mas da primeira vez que entubou mostrou total conexão com o oceano e rebentou com a escala. Clay foi o autor do primeiro e único 10 de toda a prova.

    Ainda todos nós estávamos a recuperar daquele tubaço quando o norte-americano meteu os adversários em combinação com um outro tubo, este de 8,73 pts. Estava construído o score final de 18,73 pts em 20 possíveis.

    Um autêntico recital foi aquele que Clay Marzo deu nas fabulosas esquerdas de Padang para assegurar este saboroso triunfo, por parte de um surfista cuja progressão da sua carreira foi afetada por sofrer de síndrome de Asperger.

    Antigo vencedor deste evento, Mega Semadhi foi o primeiro líder da final, mas teve de contentar-se com o segundo posto. Na posição mais baixa do pódio ficou Nyoman Artana, o único surfista que conseguiu libertar-se da combinação servida por Clay Marzo. Já incrível Erin Brooks obteve um extraordinário quarto posto.

    Única representante do género feminino e com apenas 15 anos, Brooks foi um dos grandes destaques do campeonato. Não se acanhou nos tubos de Padang junto de tube riders bem mais experientes. Mostrou valentia e técnica apurada, num evento em que foi a vencedora do super heat feminino. Bateria que também meteu ao barulho Kailani Jonhson, Ziggy Aloha e Taina Izquierdo. Um desempenho sensacional por parte de um nome que no futuro deveremos ouvir falar muitas mais vezes.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram