Homepage

  • Frederico Morais e Teresa Bonvalot na ronda 2 em Ballito
    05 julho 2022
    arrow
  • Estreia de Yolanda Hopkins e Kika Veselko ficou adiada para quarta-feira, sendo elas a definir o balanço da prestação portuguesa na ronda inaugural.
  • Quatro portugueses estiveram em prova no segundo dia do Ballito Pro, com o mar a subir ligeiramente e a proporcionar uma jornada agridoce à armada lusa. Frederico Morais e Teresa Bonvalot começaram o dia da melhor forma e acabaram por conseguir as melhores prestações lusas, com Carolina Mendes e Mafalda Lopes a serem eliminadas mais tarde. Ainda assim, nada que tenha ofuscado o primeiro êxito de Kikas nas Challenger Series 2022 e a passada de mais uma ronda por parte da atual campeã nacional e número 3 deste circuito. Isto com muita emoção à mistura.

    Frederico entrou em ação no quinto heat do dia, após um arranque sem grandes surpresas e com condições regulares, mas longe de espetaculares. A precisar urgentemente de um triunfo para prosseguir o sonho da requalificação para a elite mundial, tudo começou da pior forma para o surfista português. Uma interferência a abrir o heat, depois de surfar uma esquerda, quando Rafael Teixeira, com prioridade, apanhou a mesma onda para a direita, parecia deitar tudo a perder.

    Contudo, Kikas fez das fraquezas forças, soube reagir com moderação, sem perder o controlo, e foi respondendo, até tornar aquilo que parecia impossível numa das melhores performances do dia. A reviravolta começou com uma das poucas ondas que permitiu mais que três manobras e que foi avaliada em 6,97 pontos. Mas faltava mais, sobretudo porque a segunda melhor onda contava apenas pela metade.

    Com o australiano Dylan Moffar a distanciar-se na liderança, Kika lutava com o também aussie Chris Zaffis e com o brasileiro Rafael Teixeira pela passagem. Foi já na reta final que conseguiu a melhor onda da bateria, 7,37 pontos, que o colocavam na vice-liderança, com 10,86 pontos. Zaffiz era o que estava mais perto, mas as tentativas de voar foram infrutíferas, enquanto Frederico geria a prioridade da melhor forma.

    Ainda assim, houve suspense no final, graças a uma onda de Rafael Teixeira, que tinha estado muito apagado até então. Após a habitual espera fora de água pelas notas, a do brasileiro saiu no mesmo no limite, ficando empatado com Frederico Morais. Só que a nota mais alta era do português. Emoção à parte, a verdade é que se não fosse a interferência Frederico tinha superado a barreira dos 14 pontos. Algo que só o australiano Liam O’Brien conseguiu em toda a ronda.

    “Foi um misto de emoções”, começou por afirmar Kikas após o heat. “Tentei limpar a minha cabeça e fazer apenas o que estava ao meu alcance. Sabia que se fizesse uma onda excelente poderia saltar para segundo ou até primeiro. Foi um heat muito difícil. Sem a interferência teria sido primeiro, porque isso estou feliz por seguir em frente”, frisou.

    Depois da exibição adulta de Frederico, a ronda 1 masculina chegou rapidamente ao final, com os sul-africanos em destaque. Adin Masencamp foi o terceiro surfista na casa dos 14 pontos e a fechar o jovem Nate Colby também carimbou passaporte para a próxima fase, onde a armada lusa vai ter dois representantes entre os 48 ainda em prova.

    Vasco Ribeiro já se sabia que ia estar no heat 5, onde enfrenta o brasileiro João Chianca, o indonésio Rio Waida e Josh Burke, de Barbados, enquanto Frederico Morais vai competir no heat 12.º e último heat da ronda, onde tem pela frente o também ex-top mundial e colega de treinos Leo Fioravanti, além do sul-africano Adin Masencamp e do brasileiro Matheus Navarro.

    Depois disso, iniciou-se a prova feminina, com condições marginais e heats dominados pelas top seeds. No terceiro esteve em ação Teresa Bonvalot, que teve de sofrer para seguir em frente. Com a disputa a ser levada para os minutos finais, Teresa beneficiou de uma onda de 5,67 pontos e de outra de apenas uma manobra que lhe rendeu 3,43 pontos e um total de 9,10, que valeu a ultrapassagem à japonesa Minami Nonaka (8,56), com a neozelandesa e ex-top mundial Paige Hareb distanciada na frente, com 13,23 pontos, e a francesa Aelan Vaast no último lugar, com somente 2,83 pontos.

    Após duas sofridas mas muito saborosas qualificações portuguesas, as coisas mudaram nos restantes heats. No quarto, Carolina Mendes somou 9,10 pontos, que permitiu ficar à frente da brasileira Sophia Medina, irmã de Gabriel Medina, mas atrás da peruana Daniella Rosas (10,74) e da australiana e ex-top mundial Keely Andrew (14,03).

    Por fim, no heat 10, o último do dia, já depois da eliminação da francesa Johanne Defay, a única representante da elite mundial feminina em Ballito, foi a vez de Mafalda Lopes também ficar pelo caminho. Mafalda não conseguiu mais que 6,83 pontos, ficando à frente da basca Garazi Sanchez-Ortun, mas somente 0,04 pontos atrás da brasileira Summer Macedo. O triunfo pertenceu à havaiana Brianna Cope, com 8,70 pontos.

    Kika Veselko e Yolanda Hopkins entravam em cena nos heats seguintes, mas viram a estreia adiada para esta quarta-feira. Serão elas que vão ter a missão de definir se a balança portuguesa fica positiva ou não após a ronda inaugural deste Ballito Pro. Para já, a armada lusa conta com três surfistas na ronda 2, com os homens a fazerem o pleno, e duas eliminações.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram