Homepage

  • Teresa Bonvalot alcança histórica vitória em Sydney!!!
    24 maio 2022
    arrow
  • Na final a surfista portuguesa deixou em combinação Nikki van Dijk, uma das mais experientes surfistas em prova.
  • Teresa Bonvalot fez, mais uma vez, história para o surf nacional, depois de conquistar, esta terça-feira, o triunfo no Sydney Surf Pro, a segunda etapa do circuito Challenger Series. Uma vitória conseguida após uma performance de luxo no dia final da prova australiana e que atira Teresa para o top 3 do ranking deste importante circuito, que dá acesso ao World Tour da World Surf League.  

    Depois de na véspera ter conseguido a passagem às meias-finais e de ter carimbado, logo aí, o melhor resultado de um surfista português neste Challenger Series Tour, que teve a primeira edição no ano passado, esta terça-feira a surfista portuguesa viveu mais um dia de glória, confirmando na água ser a surfista em melhor forma nas ondas de Manly Beach.

    Na primeira meia-final, disputada ao início da madrugada portuguesa, Teresa enfrentou a havaiana Keala Tomoda-Bannert, começando a disputa por cima da adversária. Contudo, Tomoda-Bannert respondeu na segunda metade da bateria e passou para a frente. Com a prioridade nos últimos minutos do heat, a campeã europeia soube esperar pelo momento certo e no último minuto desferiu um ataque letal à vitória. A precisar de uma nota já na casa dos 7 pontos, Teresa Bonvalot usou toda a radicalidade do seu surf para conseguir uma nota de 7,37 pontos.

    O resultado foi anunciado já após o final de bateria, conferindo ainda mais drama à passagem de Teresa para a grande final da prova australiana. Com este desfecho favorável, Teresa Bonvalot marcou encontro no heat de todas as decisões com a australiana Nikki van Dijk, antiga top mundial e uma das surfistas mais experientes deste circuito.

    O heat decisivo aconteceu só pelas 5H30 da madrugada portuguesa, uma vez que pelo meio ainda se realizaram meias-finais da prova masculina e também as finais das provas de longboard. Apesar da experiência e de algum favoritismo de Van Dijk, Teresa abriu a disputa de uma forma muito forte, colocando-se numa liderança firme. Após quatro ondas surfadas, Teresa já somava 15,83 pontos, o que deixava a australiana em combinação.

    Na reta final Nikki van Dijk respondeu, conseguiu sair de combinação e ainda obrigou a surfista portuguesa a saber gerir a prioridade nos minutos finais. Depois de uma exibição de luxo na primeira metade da bateria, Teresa soube gerir as emoções e deixar rolar o tempo até à buzina que confirmou o histórico triunfo, com a australiana a não conseguir fazer mais que 13,13 pontos.

    Trazida em ombros desde a água até à zona de entrevistas, onde foi entoado o hino português pela mão cheia de portugueses presentes no areal, incluindo as colegas Kika Veselko e Mafalda Lopes, Teresa Bonvalot era uma surfista feliz por ter alcançado a maior vitória da carreira, aos 22 anos. Depois de dominar e vencer o circuito de qualificação europeu, Teresa mostra, agora, todo o seu valor a nível mundial.

    "É um sentimento incrível", começou por afirmar a surfista de Cascais. "Adoro a Austrália e ter regressado após dois anos de pandemia pareceu surreal. Já tinha tido aqui um grande resultado no passado e, agora, sinto-me muito feliz por colocar a bandeira portuguesa no topo. Só me preocupei em surfar e mostrar o melhor do meu surf. Ganhar foi uma grande sensação, sobretudo por ter enfrentado uma surfista tão boa como a Nikki van Dijk na final. É um sentimento muito bom", frisou.

    A vitória de Teresa Bonvalot ajudou a conservar a liderança isolada da norte-americana Caitlin Simmers no ranking feminino deste circuito, com Nikki van Dijk a falhar o assalto ao primeiro posto. A australiana surge na 2.ª posição, com Teresa no 3.º posto, a somente 2845 pontos da liderança. Após duas etapas realizadas, das oito que compõem o circuito, a surfista portuguesa está, assim, bem posicionada para atacar as cinco vagas femininas disponíveis para o CT 2023.

    Em Sydney destaque ainda para o 25.º posto alcançado por Mafalda Lopes, o 33.º de Yolanda Hopkins e o 49.º de Kika Veselko. Entre as três, quem surge melhor no ranking é Yolanda Hopkins, que está, agora, no 19.º posto, depois de ter sido 9.ª na etapa inaugural, na Gold Coast australiana. Mafalda ocupa o 33.º lugar e Kika surge na 58.ª posição.

    Do lado masculino o triunfo pertenceu ao indonésio Rio Waida, num resultado também histórico. Nos quartos-de-final Waida começou por vencer o havaiano Brodi Sale, para depois levar a melhor no frente ao norte-americano Jett Schilling nas meias-finais. Na grande final o jovem surfista indonésio, de 22 anos, levou a melhor frente ao australiano e ex-top do CT Ryan Callinan, com 17,73 pontos contra 15,70, alcançando a maior vitória da história do surf indonésio.

    Aqui, as contas portuguesas não estão tão animadoras, com Frederico Morais, que foi 49.º neste campeonato, no 80.º posto do ranking e Vasco Ribeiro, que fez 25.º em Sydney, no 19.º lugar, de um ranking liderado pelo italiano Leo Fioravanti e que apura o top 10 para o CT 2023.

    Terminada que está a “perna australiana”, o circuito Challenger Series vai, agora, enfrentar um mês de pausa, regressando com a etapa de Ballito, na África do Sul, de 3 a 10 de Julho. Daí o circuito segue para Huntington Beach, na Califórnia, ainda em Julho. Em Outubro a ação acontece em Portugal, mais concretamente na Ericeira, seguindo depois para Hossegor, em França. Saquarema, no Brasil, recebe a penúltima etapa em Novembro, com todas as decisões a terem lugar na etapa final, no início de Dezembro, em Haleiwa, no Havai.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram