Homepage

  • Medina anuncia ausência no arranque do CT 2022
    24 janeiro 2022
    arrow
  • Campeão mundial diz precisar de se recupera “física e mentalmente”.
  • Gabriel Medina é baixa de última hora para o arranque da temporada do CT 2022. Primeiros começaram por sair alguns rumores na imprensa brasileira sobre essa possibilidade e ao final desta segunda-feira veio a oficialização de que o campeão mundial em título não viajou para o Havai, onde dentro de cinco dias começa a primeira etapa da nova temporada, o Billabong Pipe Masters.

    A ausência de Medina deverá alargar-se para a segunda etapa, que também acontece no Havai, mas em Sunset Beach. O surfista brasileiro alega estar a tentar recuperar-se tanto em termos físicos como mentais, destacando a necessidade de cuidar da “saúde mental”. Em Pipeline, Medina vai ser substituído pelo compatriota Caio Ibelli.

    “O ano de 2021 foi um ano incrível pra mim, conquistei meu maior sonho como surfista que era tornar-me tricampeão mundial. No ano passado, vivi uma montanha russa de emoções dentro e fora da água, o que afetou muito minha saúde mental e física. No final da temporada estava completamente esgotado. Cheguei ao meu limite. Tomei a vacina durante as férias e achei que ia conseguir preparar-me a tempo para a primeira etapa da nova temporada, que começa em um dos meus picos favoritos no mundo, Pipeline. Não foi o caso. Decidi que não viajarei para o Havai e que vou tirar um tempo para recuperar mental e fisicamente”, explicou Medina nas redes sociais.

    Segundo a imprensa brasileira, Medina estaria a receber ajuda psicológica para superar este momento. Algo que o próprio surfista confirmou, além de revelar uma pequena lesão no quadril desde o final do ano passado. “Tenho questões emocionais com as quais estou a precisar de lidar. Venho de meses muito desgastantes. Reconhecer e admitir para mim mesmo que não estou bem, tem sido um processo muito difícil. Optar por tirar um tempo para cuidar-me foi talvez a decisão mais difícil que já tomei em toda a minha vida. Questionei-me muito nos últimos tempos se deveria tornar isso público ou manter de forma privada, mas é justo que todos vocês que sempre torceram por mim saibam do momento que estou a enfrentar. A saúde mental é muito importante. Preciso estar a 100 por cento a nível mental para voltar a competir. Voltarei mais forte”, prometeu Gabriel Medina.

    Curiosamente, Gabriel Medina acaba por dar lugar a um surfista com quem tem uma rivalidade antiga. E que até teve o seu ponto alto em Pipeline, depois de se ter iniciado com uma interferência em Supertubos. Semanas depois do incidente em Portugal, Medina fez uma interferência propositada, utilizando a matemática a seu favor e impedindo o adversário de lutar pelo triunfo e que acabou por “obrigar” a WSL a mudar as regras no ano seguinte.

    Esta situação vai obrigar a nova mudança na lista dos heats da ronda inaugural. Depois de uma primeira mudança, em que Frederico Morais passou para o heat de Kelly Slater, a verdade é que ao final do dia, o surfista português já tem novos adversários. Com a ausência de Medina, Frederico sobe a oitavo cabeça de série. Kikas vai estar no heat 8 e terá pela frente o brasileiro Miguel Pupo e o rookie australiano Jackson Baker. Isto se não existirem mais surpresas até ao arranque do Pipe Masters, marcado para sábado.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram