Homepage

  • Elite mundial masculina vai ter 9 rookies em 2022!
    05 dezembro 2021
    arrow
  • Sem surpresas de última hora, não houve praticamente mudanças no cut entre a etapa de França e a do Havai…
  • O dia final do Haleiwa Challenger coroou John John Florence como campeão da prova havaiana mas também foi decisivo no fecho das contas da qualificação para o circuito mundial de 2022. Com apenas quatro das 12 vagas ainda em aberto para este domingo, as contas acabaram por ficar… praticamente intactas em relação a como estava à chegada ao Havai.

    O grande destaque vai para a Austrália, que conseguiu quatro dos 12 surfistas qualificados, contrariando a perda de atletas da elite mundial que se tinha vindo a acentuar nos últimos anos. A Connor O’Leary, Callum Robson e Liam O’Brien, juntou-se ainda Jackson Baker, que estava a torcer por fora, depois de uma eliminação precoce em Haleiwa.  

    Os Estados Unidos conseguiram fazer o mesmo, ao apurar dois surfistas, aos quais se juntam ainda dois havaianos – em cenário olímpico competem pelos Estados Unidos. Os californianos Nat Young e Jake Marshall já estavam carimbados, assim como os havaianos Zeke Lau e Imaikalani Devault.

    Depois, o Brasil conseguiu garantir duas vagas neste dia final, através dos jovens Samuel Pupo e João Chianca. Um mal menor para o país que tem dominado o surf mundial e que nos últimos anos era o que mais vagas conquistava através do circuito WQS, no cenário antigo de qualificação. Pupo foi mesmo o único surfista a movimentar-se de fora para dentro do cut, depois de ter chegado a Haleiwa empatado com o australiano Jordan Lawler, que acabou por cair da zona de qualificação.

    Por fim, fez-se história com os dois primeiros surfistas oriundos da América Latina a chegarem à elite mundial do surf. O peruano Lucca Mesinas já tinha garantido uma vaga na véspera, enquanto o costarriquenho Carlos Muñoz foi um dos últimos a garantir a qualificação para o CT do próximo ano.

    Com os tops do CT, que não entram nestas contas da qualificação, a dominarem a ação nesta prova havaiana, as contas fecharam ainda antes da final, depois da eliminação do australiano Kalani Ball nas meias-finais. Ao contrário de anos anteriores, este foi um final de festa sem muito drama e reviravoltas nas contas, onde a “fava” ficou com o australiano Jordan Lawler e onde muitos dos qualificados conseguiram permanecer no cut mesmo depois de perderem de primeira nesta derradeira etapa do novo circuito Challenger Series.

    Feitas as contas, a temporada de 2022 do CT vai começar com um total de 9 rookies. Isto porque Nat Young e Zeke Lau são dois regressos à elite mundial, enquanto o australiano Connor O’Leary foi o único dos 14 tops mundiais que não se qualificaram pelo ranking do CT 2021 a conseguir a requalificação por esta segunda via.   

    Class of 2022 Championship Tour Qualifiers:

    Ezekiel Lau (Havai)
    Jake Marshall (Estados Unidos)
    Imaikalani deVault (Havai)
    Nat Young (Estados Unidos)
    Connor O'Leary (Austrália)
    Liam O'Brien (Austrália)
    Callum Robson (Austrália)
    Lucca Mesinas (Peru)
    Joao Chianca (Brasil)
    Jackson Baker (Austrália)
    Carlos Munoz (Costa Rica)
    Samuel Pupo (Brasil)

    Estes 12 surfistas juntaram-se ao top 20 do CT 2021, onde se inclui o português Frederico Morais, e ainda aos dois wildcards atribuídos pela WSL, que este ano foram para o norte-americano Kolohe Andino e para o australiano Owen Wright.

    Top 20 do CT 2021:

    Gabriel Medina (Brasil)
    Filipe Toledo (Brasil)
    Italo Ferreira (Brasil)
    Conner Coffin (Estados Unidos)
    Morgan Cibilic (Austrália)
    Griffin Colapinto (Estados Unidos)
    Jordy Smith (África do Sul)
    Kanoa Igarashi (Japão)
    Yago Dora (Brasil)
    Frederico Morais (Portugal)
    John John Florence (Havai)
    Jack Robinson (Austrália)
    Leonardo Fioravanti (Itália)
    Deivid Silva (Brasil)
    Ryan Callinan (Austrália)
    Ethan Ewing (Austrália)
    Kelly Slater (Estados Unidos)
    Jadson Andre (Brasil)
    Seth Moniz (Havai)
    Miguel Pupo (Brasil)

    Wildcards

    Kolohe Andino (Estados Unidos)
    Owen Wright (Austrália)

    A ação em Haleiwa prossegue com a prova feminina, onde há três das seis vagas totais ainda em jogo. Com a havaiana Gabriela Bryan e a norte-americana Caitlin Simmers a já estarem confirmadas como rookies para o próximo ano e com a costarriquenha Brisa Hennessy a garantir a requalificação, restam três lugares. E as portuguesas Yolanda Hopkins e Teresa Bonvalot estão ainda na luta por essas vagas, que só deverão ficar definidas na segunda-feira.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram