Homepage

  • Desta vez foi na West Oz: Amuro Tsuzuki voltou a fazer história para o Japão
    03 maio 2021
    arrow
  • A surfista nipónica surpreendeu no seeding round ao derrotar a vice-campeã mundial, Caroline Marks. Um triunfo recheado de história.
  • Agarrando o injury wildcard por força dos problemas físicos da norte-americana Lakey Peterson, Amuro Tsuzuki tem vindo nas últimas semanas a trilhar o seu percurso no Women's World Tour (WWT) e por arrasto tem escrito uma parte importante da história do surf feminino de competição nipónico.

    Se na estreia mundialista em Narrabeen, no estado australiano de Nova Gales do Sul, Amuro tornou-se na primeira surfista japonesa a competir no WWT desde 1996 (!), agora em Margaret River a gesta foi também deveras impressionante.

    Tsuzuki tornou-se na primeira surfista do país do sol nascente em mais de 20 anos a conquistar uma bateria na divisão máxima do surf mundial feminino. No seeding round do Margaret River Pro, num dia de condições massivas, Amuro Tsuzuki não se amendrontou, mostrou valentia e extraiu o melhor do seu surf.

    Resultado, derrotou a havaiana Malia Manuel e a norte-americana Caroline Marks, atual número dois mundial e curiosamente a surfista que atirou a simpática japonesa para fora de prova no Rip Curl Narraben Classic. Estávamos então nos oitavos-de-final.

    "Estava muito nervosa devido às condições do mar. Não estou muito confortável com o meu surfe de backside, mas quando as ondas vieram sabia que a melhor opção seria ir para a esquerda", explicou Amuro Tsuzuki em comunicado oficial da World Surf League.

    Para os mais desatentos, enganem-se aqueles que pensam que esta é uma surfista qualquer. Em 2019, Amuro Tsuzuki ofereceu ao Japão e consequentemente à Ásia o primeiro título mundial debaixo da égide da World Surf League (WSL). Foi campeã do mundo Júnior.

    O ano passado Tsuzuki, que em 2019 foi a primeira surfista do WQS a classificar-se fora da zona de acesso ao WWT, iria mesmo competir a tempo inteiro no Mundial ocupando a vaga deixada pela campeoníssima Carissa Moore, que iria tomar um ano sábatico.

    No entanto, chegou a pandemia e a temporada foi cancelada. Desta forma, caiu por terra esta oportunidade.

    Agora, uma outra oportunidade surgiu e a surfista asiática está a agarrar o momento com unhas e dentes. Conquistado o primeiro heat da sua carreira no WWT, segue-se um embate com a francesa Johanne Defay nos oitavos-de-final de Margaret River. Irá Amuro Tsuzuki ter um novo encontro com a história?

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram