Homepage

  • Connor O'Leary, o surfista australiano com sangue japonês nas veias
    06 abril 2021
    arrow
  • A mãe de Connor é originária do Japão, pelo que O'Leary tem exaltado a sua especial ligação afetiva ao país do sol nascente.
  • Na Rip Curl Newcastle Cup, Connor O'Leary foi um dos oito surfistas que conseguiu escapar à guilhotina da eliminação precoce da segunda prova do Mundial de Surf de 2021.

    No entanto, para além da bem-sucedida prestação obtida por Connor, que permitiu avançar para a terceira ronda do evento, um outro aspecto tem marcado as passagens deste pelo mar da Merewether Beach.

    O surfista que em 2021 está de regresso a tempo inteiro à elite do surf mundial tem envergado uma licra que contém duas bandeiras: Austrália e Japão.

    Austrália, pois representa o país do qual O'Leary é originário, mais concretamente de Cronulla em Nova Gales do Sul. Porém, porque motivo Connor O'Leary também colocou a bandeira do Japão? Pergunta o leitor.

    Olhando para o desenho do rosto de Connor, especialmente para a parte dos olhos, podemos começar a chegar à resposta a esta questão, que vem a revelar-se bastante simples.

    Trata-se do país do qual é proveniente a sua mãe, Akemi Karasawa. A progenitora de O'Leary foi na sua juventude uma surfista profissional, tendo passado ao seu filho toda a paixão que contém sobre esta modalidade.

    Por isso, Connor ao envergar a bandeira do Japão na sua licra de competição encontrou uma forma de homenagear todas as suas origens, vincando assim a sua ligação ao país do sol nascente. O orgulho asiático. Mas não foi só isso.

    "Espero que esta ação sirva de inspiração aos surfistas japoneses. O céu é o limite", disse o protagonista desta história ao site da World Surf League.

    Apesar de ter anualmente um calendário competitivo bastante preenchido, agora bastante reduzido por causa da pandemia, Connor O'Leary garante que procura sempre passar algum tempo em solo nipónico por forma a estar mais perto da família materna, amigos e afinar o seu japonês.

    "A Austrália será sempre o país que vou representar. Foi aqui que cresci e vivi toda a minha vida. No entanto, tenho uma outra metade que pertence ao Japão. Tenho uma conexão muito profunda com a cultura, o país e os japoneses, especialmente com aqueles que gostam de surf", assegura o atleta de 27 anos que fora de água tem contado neste evento com o sempre reconfortante apoio da sua mãe.

    Quanto à figura paterna, também foi surfista, mas ao contrário da mãe não atingiu a profissionalização.

    É com toda esta força do orgulho japonês-australiano que Connor O'Leary está em busca do melhor resultado possível na Rip Curl Newcastle Cup. 

    Para já, igualou o desempenho obtido em dezembro último no Pipe Masters, tocando a terceira ronda. De modo a fazer melhor do que no Havai tem uma tarefa hercúlea pela frente: vergar o bicampeão mundial Gabriel Medina.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Outras Notícias Relacionadas