Homepage

  • Há quanto tempo Kelly Slater não falha uma etapa do WCT?
    08 março 2021
    arrow
  • Entre 2017 e 2018, o veterano surfista norte-americano só competiu em oito eventos do Mundial.
  • Foi a notícia que marcou a última semana em termos de assuntos relacionados com as competições da World Surf League (WSL).

    Kelly Slater vai falhar a retoma do World Championship Tour (WCT) devido a problemas físicos, pelo que não tomou o seu lugar no voo charter, recheado de surfistas internacionais, que aterrou esta segunda-feira em Sydney, na Austrália.

    Depois de um início de temporada bastante prometedor, Slater foi terceiro no último Pipe Masters, o 11 vezes campeão do mundo é forçado a uma paragem.

    Com uma carreira tão longa no surf de competição, esta é a sua 30ª temporada entre a elite do surf mundial, naturalmente que não se trata da primeira vez que KS falhará um ou mais eventos do WCT por causa de lesões.

    No entanto, esta será a primeira vez desde 2018 que tal sucederá. Aí das 11 etapas que fizeram parte do calendário, Kelly apenas esteve presente em três delas, tendo falhado as restantes por lesão.

    O ano foi conturbado, mas o surfista de 49 anos quando apareceu esteve em excelente plano. Apesar do modesto 25º lugar em Jeffreys Bay, o Rei Kelly obteve dois terceiros lugares nos seus dois jardins: Surf Ranch e Pipeline.

    Puxando a cassete ainda mais atrás, o ano de 2017 também não foi fácil para o lendário norte-americano, uma vez que esteve ausente em seis das 11 provas disputadas. Nesse ano, o quinto posto na Gold Coast foi o melhor que conseguiu amealhar. Este foi a época em Slater magoou-se num pé na etapa de Jeffreys Bay, um problema que ainda hoje causa moléstias.

    Contas feitas, entre 2017 e 2018, o da Florida apenas vestiu uma licra de competição no Mundial em oito provas. 

    Depois destes dois anos muito difíceis, temos de recuar até ao ano a seguir à conquista do último título mundial para encontrar uma falta no livro de ponto.

    Aconteceu em 2012 no Billabong Rio Pro. Uma ausência que poderá muito bem ter custado a mítica 12ª coroa mundial, que nesse ano foi parar ao australiano Joel Parkinson, que teve ali o seu momento de glória.

    Curiosidades da carreira de um fenómeno, cuja sua história confunde-se com a do Mundial de Surf.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Outras Notícias Relacionadas