Homepage

  • A madrugada (e o mês) em que Tiago Pires foi top 3 mundial
    11 março 2021
    arrow
  • O surfista português manteve um bom momento de forma na etapa seguinte em Bells Beach, onde terminou no 9.º posto.
  • Estávamos no início de Março de 2011, há precisamente 10 anos, e a elite do surf mundial encontrava-se em Snapper Rocks, para a tradicional prova de arranque do WCT. Longe de saberem que em 2021, essa tradição chegaria ao fim. Era o começo da quarta temporada do nosso Tiago Pires entre a elite mundial. Prestes a fazer 31 anos, Saca apresentava-se no topo da sua forma e o que aconteceu na Gold Coast comprovou isso mesmo.

    Foram longas madrugadas e grandes performances do guerreiro português, que só foram travadas pelo inevitável Kelly Slater, que começava aí a sua corrida para aquele que seria o 11.º título mundial – e último até ao momento. Saca foi avançando heat após heat, com triunfos bem robustos. Até que nas meias-finais enfrentou o Rei. A aventura terminou com um 3.º posto e muita história pelo meio.

    Depois de um 21.º posto no ranking em 2010, que foi o melhor da carreira, fruto de uma temporada pautada pela regularidade, em 2011 tudo começou com uma vitória tremenda no heat 12 da ronda inaugural, onde somou 15,83 pontos, com a melhor onda a ser uma de 8,33, para bater o brasileiro Jadson Andre e o norte-americano Damien Hogbood.

    Escapado à repescagem, Saca carregou baterias para a sempre complicada ronda 3 e repetiu a dose. Quis o draw que tivesse de voltar a enfrentar Jadson. A bateria foi complicada, mas Tiago Pires venceu com relativa facilidade, com um score de 12,84 contra 8,70. Na quarta ronda, viu Dusty Payne vencer a bateria, sendo atirado para a repescagem na companhia de Ace Buchan.

    Contudo, tudo voltaria ao rumo dos triunfos após um embate com Michel Bourez na ronda 5. Os dois representantes da mítica Euroforce mediram forças com um lugar nos quartos-de-final em disputa e, apesar de o taitiano ter sido mais regular durante o heat, a verdade é que a onda de 8,10 pontos surfada por Saca acabou por ser decisiva para pender a balança para o lado português.

    Quando já o país desportivo estava a centrar expectativas na performance de Tiago Pires, enquanto os fãs de surf já levavam algumas madrugadas em alerta, o dia final da etapa australiana abriu com um duelo frente ao australiano Matt Wilkinson. Isto no auge da excêntrica carreira de Wilco. O australiano saiu na frente e colocou Saca entre a espada e a parede. Mas uma última surfada com muitos milhares de portugueses a empurrarem, acabou por valer o triunfo por apenas 0,24 pontos.

    O surfista português parecia embalado para um grande resultado e muitos eram os que já sonhavam com o triunfo. Nem o facto de ter Kelly Slater pela frente nas meias-finais parecia assustar, enquanto na outra semifinal Taj Burrow e Jordy Smith também prometiam espetáculo. Só que foi aqui que a história sofreu uma inversão a favor do norte-americano.

    Com algumas horas de margem para gerir as finais do campeonato, a organização decidiu parar o campeonato. O duelo que deveria ter acontecido ao final da noite, acabou por acontecer já perto das 4 horas da madrugada em Portugal Continental. Rapidamente correu o rumor que tal sucedeu a pedido de Slater, cujas condições na altura não o favoreciam. Verdade ou não, certo é que Tiago Pires acabou por ver Kelly vencer confortavelmente, com direito a combinação.

    KS acabou por vencer o evento e Saca terminou no pódio, começando a temporada como número 3 mundial – a melhor posição de sempre que ocupou no ranking. O surfista português manteve um bom momento de forma na etapa seguinte em Bells Beach, onde terminou no 9.º posto. O bom arranque fazia prever a melhor classificação de sempre no WCT, mas a verdade é que até final do ano nunca mais passou a terceira ronda. Ainda assim, o brilharete em Snappers valeu-lhe um 23.º posto final no ranking e mais um par de época entre os melhores do Mundo.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram