Homepage

  • Sunset e Santa Cruz aumentam número de etapas do WCT
    11 novembro 2020
    arrow
  • Esta será a primeira competição feminina a ocorrer no North Shore desde 2010.
  • De Pipe para Sunset Beach e, depois do arranque a todo o gás no Havai, para Santa Cruz, na Califórnia. É este o novo cenário apresentado ontem pela WSL para o início do WCT 2021. Uma mudança de planos que acabou por alterar as datas da etapa portuguesa, mas que visa fazer uma primeira “perna” americana, sem obrigar os melhores surfistas do Mundo a constantes viagens em plena pandemia.

    De 19 a 28 de Janeiro, depois de já terem enfrentado os tubos de Pipeline em dezembro, o tour masculino e feminino vão regressar a Sunset Beach, a mítica praia do North Shore, que até aqui contava com três campeonatos distintos para o WQS, um deles a contar para a importante Triple Crown havaiana.

    Esta será a primeira vez desde 1991 que homens e mulheres vão competir em simultâneo em Sunset, assim como também representará a primeira competição feminina a ocorrer no North Shore desde 2010. Uma adição que irá favorecer, claramente, os surfistas power e que promete oferecer muito e bom espetáculo.

    Dessa forma, a primeira imagem que nos vem à cabeça são os grandes resultados que Frederico Morais ali já conseguiu, podendo isso funcionar a favor do surfista português no arranque de temporada, depois de um Pipe Masters que, historicamente, não lhe é tão favorável.

    Foi em 2013 que Kikas se estreou a competir no Havai e fê-lo logo com uma incrível final, onde terminou no 4.º posto, batido por Zeke Lau, Cj Hobgood e Raoni Monteiro, e com o título de rookie do ano da Triple Crown. No ano seguinte as coisas não correram tão bem, mas em 2015 foi 17.º, preparando o grande resultado que aconteceria em 2016, quando foi 2.º, apenas atrás de Jordy Smith, conseguindo aí a qualificação para o WCT pela primeira vez.

    A seguir a Sunset, vem mais um regresso ao calendário. O Tour vai até Santa Cruz, para os melhores do Mundo se testarem nas famosas ondas (e algas) de Steamer Lane, de 2 a 12 de fevereiro. O melhor surf do Mundo regressa a esta onda 33 anos depois da primeira etapa do CT que ali se realizou e nove anos depois da última, que foi vencida por Taj Burrow.

    Steamer Lane chegou também a ser um palco regular do WQS e também aí há boas recordações portuguesas, sobretudo do ano de 2011, quando Tiago Pires avançou até à final do campeonato 6 estrelas que ali houve, perdendo apenas para o brasileiro Miguel Pupo, e depois de ter batido o sul-africano e super favorito Jordy Smith nas meias-finais.

    Após estas três etapas o Tour ruma a outras paragens para a segunda parte da primeira metade da temporada, ainda que com vários cenários em aberto, devido à pandemia. A verdade é que este calendário deixa boas perspetivas para o regresso de Frederico Morais à elite mundial, numa temporada em que apenas os primeiros cinco classificados terão acesso à finalíssima pelo título mundial, a realizar em setembro em Trestles, na Califórnia. E, subitamente, os Estados Unidos – excluindo o Havai - têm três etapas no circuito…

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Outras Notícias Relacionadas