Homepage

  • Protestos no Chile adiam etapa do WQS
    30 outubro 2019
    arrow
  • O facto de a maior parte das surfistas internacionais ter de desembarcar no aeroporto de Santiago do Chile, onde está o foco dos protestos, fez com que esta decisão fosse tomada.
  • Os protestos populares no Chile estão na ordem do dia, criando um enorme clima de instabilidade na capital Santiago. E embora isso possa não estar relacionado em nada com o surf, a verdade é que a situação acabou por atingir uma prova que se iria realizar em Pichilemu nos próximos dias. Dessa forma, em virtude do clima de tensão vivido no país sul-americano, a organização decidiu adiar o evento para dezembro.

    Inscritas nesta prova estavam duas surfistas portuguesas, Carol Henrique e Camilla Kemp, que viram assim adiada a presença no QS1500 Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro by Royal Guard. Por decreto da WSL sul-americana, a prova passará a realizar-se de 13 a 15 de dezembro, sendo assim a última do calendário.

    Apesar de ser disputado ainda este ano, a verdade é que, em virtude desta situação, os pontos em disputa irão contar para o ranking de 2020. Ou seja, a vencedora do campeonato será a primeira líder do QS feminino da próxima temporada. Resta saber se a prova ainda contará com a presença de portuguesas nessa altura do ano.

    O facto de a maior parte das surfistas internacionais ter de desembarcar no aeroporto de Santiago do Chile, onde está o foco dos protestos, fez com que esta decisão fosse tomada, uma vez que a organização não queria colocar em causa as seguranças das atletas, que depois teriam ainda de viajar mais de 200 quilómetros para chegar ao palco do campeonato.

    “Tendo em conta que as manifestações e os protestos prosseguem em Santiago, capital do Chile, como também em algumas cidades vizinhas, a WSL Latin America, com o apoio dos respetivos Comissários da WSL Internacional, observando uma solicitação dos organizadores do evento, achou por bem transferir a sua data de realização para os dias 13 a 15 de dezembro próximo. O local do evento segue em Punta de Lobos, Pichilemu, e os pontos deste QS 1500 serão validados para o ranking feminino do WSL Qualifying Series 2020”, pode ler-se em comunicado.

    A WSL salientou ainda o facto da decisão se prender com o facto de preservar a segurança das surfistas: “Pedimos desculpas a todas as atletas envolvidas por todo e qualquer transtorno que esta decisão possa vir a causar, mas que esteja bem claro que a decisão foi tomada com o único intuito de preservar a segurança e a integridade das participantes e os interesses dos organizadores e da WSL Latin America”.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Outras Notícias Relacionadas