Homepage

  • Missão complicada: Os requisitos de Slater para chegar aos Jogos Olímpicos?
    23 outubro 2019
    arrow
  • Com John John e Seth Moniz como adversários, Slater sabe que terá de chegar, pelo menos, aos quartos-de-final em Pipe para poder sonhar com a presença em Tóquio.
  • Após uma inesperada eliminação na 3.ª ronda em França, Kelly Slater chegou a Portugal determinado em fazer um bom resultado, tendo em vista a qualificação olímpica. E o 11 vezes campeão mundial até começou bem em Supertubos, estando entre as melhores performances das rondas iniciais e superando a 3.ª ronda. Contudo, acabaria por cair nos oitavos-de-final.

    Em Portugal Slater somou mais um 9.º lugar para o ranking, sendo a quinta vez que o conseguiu em 2019. O problema é que nas últimas sete etapas nunca conseguiu fazer melhor que isso e pelo meio conta com duas eliminações na 3.ª ronda. Um cenário que deixa a presença de KS nos Jogos Olímpicos de Tóquio’2020 em risco, abrindo a porta da qualificação a John John Florence, que está lesionado desde… junho.

    Agora, tudo se irá decidir no Havai, onde John John prometeu que vai regressar à competição, mesmo que o tenha de fazer ainda lesionado para tentar segurar a vaga olímpica. Com mais de quatro mil pontos de desvantagem para o havaiano, Slater chega a Pipeline com um requisito algo elevado para conseguir marcar presença na estreia olímpica do surf.

    Nesta equação é preciso ter ainda em conta Seth Moniz, que chegou ao MEO Rip Curl Pro Portugal à frente de Kelly no ranking, mas que irá ser ultrapassado depois da eliminação na 2.ª ronda. Apesar de ainda ter hipóteses matemáticas de ir a Tóquio, Moniz é, dos três, o que tem uma tarefa mais complicada pela frente. Fora das contas para se juntar a Kolohe Andino entre os qualificados norte-americanos está já Conner Coffin.

    Dessa forma, para poder sonhar com a presença em Tóquio, Slater sabe que terá de chegar, pelo menos, aos quartos-de-final. Se perder antes disso, o King está matematicamente fora dos Jogos Olímpicos – a não ser que John John não consiga recuperar ou sofra uma recaída da lesão até agosto de 2020. No entanto, mesmo que chegue a essa fase da prova ainda está dependente da prestação de terceiros.

    Caso chegue à final em Pipe, Slater retira automaticamente Seth Moniz das contas. No entanto, isso pode também não ser suficiente, pois a vantagem de John John, que só disputou cinco etapas esta temporada, é algo considerável. Resta perceber se o havaiano vai estar mesmo presente na última etapa do ano e se conseguirá competir ao melhor nível, uma vez que um 3.º lugar na etapa lhe garantirá automaticamente a vaga.

    Requisitos de Slater para se qualificar para Tóquio’2020:

    - Se John John perder de primeira ou não entrar, Slater tem de ser pelo menos 5.º (quartos-de-final) e esperar que Seth Moniz não seja finalista;

    - Se John John passar apenas uma ronda (17.º), Slater tem de ser 3.º (meias-finais) e esperar que Seth Moniz não vença;

    - Se John John passar somente duas rondas (9.º), Slater tem de ser 2.º (finalista);

    - Se John John passar três rondas (5.º), Slater está obrigado a vencer (1.º)

    - Se John John chegar às meias-finais (3.º) garante automaticamente a vaga.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram