Homepage

  • Caio Ibelli recebe ameaças de morte após vencer Medina
    22 outubro 2019
    arrow
  • Jadson Andre foi o que criticou a situação de forma mais intensa, alegando estar envergonhado com a atitude de alguns brasileiros.
  • Como era de esperar a derrota de Gabriel Medina nos oitavos-de-final do MEO Rip Curl Pro Portugal fez correr muita tinta, mas promete não ficar por aqui. Depois do triunfo de Caio Ibelli frente ao compatriota que lidera o ranking mundial, após uma interferência que gerou muita polémica, as coisas não ficaram pelas queixas e o copo acabou mesmo por extravasar. Isto porque muitos dos apoiantes – será que podem ser chamados assim!? – decidiram invadir as redes sociais de Ibelli. Entre as várias ameaças, houve mesmo quem ameaçasse o compatriota de morte.

    O ataque a Caio Ibelli escalou de tom nos últimos dias, naquilo que é um exemplo cabal do pior que há no desporto. Os fãs de Medina não conseguiram digerir a eliminação do campeão mundial em título de forma precoce em Peniche, sobretudo depois de um erro tão infantil do próprio, virando as atenções para um compatriota que, nesta altura do ano, também tem objetivos em jogo, nesta caso a continuidade na elite mundial, ou seja, o futuro da carreira.

    Esta vaga de ameaças que Caio Ibelli recebeu levou mesmo alguns tops mundiais a saírem em sua defesa, criticando de forma veemente a atitude dos fãs de Gabriel Medina. Jadson Andre foi o que o fez de forma mais intensa, alegando estar envergonhado com a atitude de alguns brasileiros. A verdade é que, tal como Jadson frisa, ameaçar um adversário por uma situação completamente normal dentro do desporto acaba por roçar o ridículo e até o criminoso.

    "Galera, de verdade mesmo, o que vocês estão fazendo com o Caio, me deixou muito mal.
    Eu amo o Medina, minha relação com o Medina não se compara com a do Caio, nem vou entrar neste assunto. Mas é o seguinte, o Caio não tem culpa de nada mesmo! E ele, igual ao Medina, tá correndo atrás do sonho dele! Em uma realidade totalmente extrema uma da outra! Um pra ser campeão do mundo e o outro pra ficar no circuito aonde que ele fica de fora, a vida dele muda da água pra o Vinho. Eu não tenho 1% de amizade com o Caio do que tenho com o Medina, mas eu tô de verdade, envergonhado com o que vocês estão fazendo com Caio", apontou Jadson na sua conta de Instagram.

    Jeremy Flores, Italo Ferreira, que também está na corrida ao título mundial, Yago Dora, Jesse Mendes e até Alessa Quizon, a surfista havaiana ex-top do WWT e namorada de Ibelli reagiram publicamente a favor da intervenção de Jadson. “É completamente injusta a forma como o Caio Ibelli está a ser tratado. Todos estão atrás dos seus sonhos e os sonhos de ambos têm a mesma importância”, comentou Quizon. 

    Mais tarde foi a vez de Caio Ibelli agradecer o apoio do colega de Tour, que referiu o facto de ser muito mais amigo de Gabriel Medina do que de Ibelli, embora isso não o impedisse de criticar a situação. “Valeu irmão por ter coragem de falar e se expor, muito respeito! Muito triste de ver como as pessoas tratam outras pessoas”, escreveu Ibelli, antigo campeão mundial júnior da WSL.

    O mais insólito foi perceber que nem as palavras de Jadson serviram para colocar água na fervura, pois os ataques a Caio Ibelli continuarem em resposta ao comentário do próprio, criticando a postura do surfista e os comentários que este teve após a bateria. Ataques injustificados e de pessoas que talvez pensem que o surf é como o futebol, ou que talvez nem saibam que no WCT existem dezenas de surfistas brasileiros e não somente os que lutam pelo título.

    Resta lembrar que se alguém errou naquela situação foi o próprio Gabriel Medina, ao apanhar uma onda não tendo a prioridade decretada pelo palanque, ou, no máximo, os juízes por terem atribuído a prioridade de forma errada. O comportamento de Caio Ibelli foi o de quem queria inverter a situação complicada em que estava na bateria e nem sequer o fez com um gesto que possa ser considerado antidesportivo, uma vez que foi o primeiro a mostrar intenção de apanhar a onda, apanhando-a com intenção de a surfar.

    Podemos até inverter a situação e lembrar um episódio polémico acontecido no Quiksilver Pro Gold Coast em 2014, quando Jeremy Flores apanhou uma onda debaixo da prioridade de Adriano de Souza e o brasileiro, só depois de ver que o francês tinha apanhado a onda, decidiu atirar-se para cima do adversário, com intensão apenas de ganhar a interferência e não de surfar a onda. Adriano saiu por cima na disputa e, aqueles que agora criticam Caio Ibelli por algo completamente normal no surf, talvez tivessem na altura elogiado a “estratégia” de Mineiro.

    Chega de tornarem o surf algo tão redutor. Não foi esse o espírito que tornou o surf num desporto tão especial…

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram