Homepage

  • Favoritos vacilam no arranque do WCT em D-Bah
    03 abril 2019
    arrow
  • Os números comprovam este arranque lento do WCT, com 15 dos 36 surfistas a não conseguirem sequer chegar a um score acima dos 10 pontos. Só Medina foi exceção entre os candidatos.
  • Arrancou esta madrugada o World Tour 2019, com grande parte dos principais favoritos ao título a vacilarem no novo formato competitivo e sem Frederico Morais em prova. O português acabou por não ver qualquer surfista do top 34 mundial desistir à última hora e teve de ficar a ver a prova de fora.

    A ação no Quiksilver Pro Gold Coast começou no spot alternativo de D-Bah e com a nova ronda inaugural, onde dois surfistas seguem em frente e apenas o último segue para a repescagem. Talvez por essa maior margem de erro a prova tenha ido para a água, pois as condições mostraram-se bem difíceis e refletiram-se nos scores baixos e nas derrotas surpreendentes.

    Os números comprovam este arranque lento do WCT, com 15 dos 36 surfistas a não conseguirem sequer chegar a um score acima dos 10 pontos. Somente 10 surfistas superaram a barreira dos 12 pontos. E só Yago Dora conseguiu superar os 14 pontos, conseguindo o melhor score do dia: 14,33. Dora superou Italo Ferreira, que também seguiu em frente, e ainda atirou o rei Kelly Slater para a repescagem.

    O surfista brasileiro brilhou com o seu surf progressivo, servindo ao púbico um aéreo gigante nas rampas de D-Bah, pontuado com 7,83. A prova de que as condições estavam dignas do WQS ou do Red Bull Airborne e não de uma etapa do CT. Por isso mesmo, ao final do dia a organização tenha mesmo colocado na água a nova competição de aéreos…

    Em relação aos favoritos só Medina conseguiu mostrar rasgos de brilhantismo, aproveitando igualmente para voar e terminando a bateria com 13,84 pontos. O campeão mundial em título foi o primeiro top seed a vencer uma bateria – cenário que aconteceu apenas no heat 6 – e apenas um dos cinco que o conseguiu fazer. Destaque ainda para o regresso de John John Florence, que foi batido por Mikey Wright, mas que, ainda assim, conseguiu avançar para a 3.ª ronda.

    E se é verdade que alguns top seeds conseguiram “safar-se” com a segunda posição da bateria, outros houve que nem isso conseguiram. Foi o caso de Owen Wright, Julian Wilson ou Jordy Smith, que acabou traído por uma interferência. Estes três candidatos ao título vão ser os grandes cabeças de cartaz da nova ronda de repescagem, onde só o último classificado de cada um dos quatro heats vai logo para casa.

    Em reação ao fim da festa, houve alguns momentos de fogo-de-artifício, com alguns aéreos impressionantes durante primeira metade da ronda inaugural – foram disputados apenas três dos seis heats - do Red Bull Airborne. Neste capítulo destaque especial para Italo Ferreira, que conseguiu destacar-se da concorrência, liderando por enquanto a tabela de qualificação para a grande final. Seguem-se Chippa Wilson e Kalani David no top 3.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram