Homepage

  • Vasco Ribeiro soma e segue em Sunset Beach
    02 dezembro 2018
    arrow
  • Vasco fez o melhor score da 3.ª ronda e começa a ver o sonho da qualificação cada vez mais perto, fruto de algumas eliminações importantes.
  • Continua vivo o sonho de Vasco Ribeiro em qualificar-se para o WCT 2019, depois deste sábado o surfista português ter garantido a qualificação para a 4.ª ronda do QS10000 de Sunset Beach, a última prova da temporada do circuito WQS. E Vasco não se limitou a garantir a qualificação, como ainda o fez com um triunfo e muito brilhantismo à mistura.

    Vasco esteve em ação no heat 10 da 3.ª ronda e não perdeu tempo em mostrar o seu surf power, alcançando uma nota de 8,17 pontos com uma onda de apenas duas manobras. A bateria registou algum equilíbrio até final e o português chegou aos últimos minutos no 2.º posto, mas já em cima do toque da buzina conseguiu melhorar a sua situação, com uma onda de 8,20 pontos.

    Com um score de 16,37 pontos Vasco Ribeiro conseguiu a melhor pontuação total da ronda, a par do norte-americano Griffin Colapinto, garantindo uma vaga na 4.ª ronda, o equivalente aos oitavos-de-final, onde já só estarão em prova 32 surfistas. Na próxima fase Vasco terá pela frente os brasileiros Italo Ferreira, atual número 4 do WCT, Peterson Crisanto, que já tem garantida a vaga no CT 2019, e ainda Miguel Pupo, ex-membro da elite mundial.

    Com um 32.º lugar do ranking à entrada para este último evento do ano, Vasco sabia que precisava de um resultado forte para entrar na luta pelas contas da qualificação. E, para já, está a conseguir entrar no ritmo, mostrando um surf cada vez mais adaptado à exigente onda de Sunset. Mas é preciso mais, pois o requisito para a qualificação já aumentou e só a partir do momento que alcançar a final, Vasco Ribeiro poderá começar a sonhar com uma eventual qualificação.

    Com a passagem à 4.ª ronda em Sunset, Vasco garante, pelo menos, 2100 pontos para o ranking, o que já melhoraria a sua situação em 1500 pontos – está a limpar um resultado de 600 pontos -, ficando já acima da casa dos 10.500 pontos. No entanto, com o “cut” já, virtualmente, nos 14000 pontos de Soli Bailey, que passou duas rondas e ascendeu ao 12.º posto do ranking, Vasco tem de continuar a avançar na prova e chegar o mais longe possível.

    Apesar de no início da prova o requisito para a qualificação de Vasco Ribeiro ser um 7.º lugar, dava para perceber que mesmo esse resultado ficaria curto, perante a quantidade de adversários. Um 5.º também poderia dar, mas depois desta última ronda, o requisito já está no 4.º posto e, caso os surfistas que estão à sua frente continuem a passar rondas, ele poderá aumentar ainda mais.

    Contudo, certo é que se Vasco ganhar a prova está automaticamente qualificado, pois depende apenas dele próprio. Com um 2.º ou 3.º lugar ficaria igualmente perto da qualificação, mas ainda a depender de terceiros. E neste momento ainda há 18 surfistas em prova que podem sonhar matematicamente com a qualificação. Um fator positivo a favor do português, neste momento, é o facto de entre ele e o cut já só restarem dois surfistas. Fica a par das contas aqui.

    Entretanto, Sunset já carimbou mais um surfista na elite mundial, neste caso o regresso do neozelandês Ricardo Christie. Já havíamos escrito que Christie poderia ser considerado, mesmo antes de a prova começar, um surfista já qualificado, mas com a passagem de uma ronda em Sunset garantiu uma ascensão para perto da casa dos 19 mil pontos. Pelo que agora já nem uma hecatombe lhe rouba o lugar entre a elite mundial.

    Tudo a postos assim para uma reta final emocionante de campeonato. E com as previsões que temos pela frente, tendo em conta que apenas faltam realizar-se 8 horas de prova, é altamente provável que este domingo seja lay day nesta Vans World Cup of Surfing, uma vez que o swell vai cair. Só mais para meio da semana - o último dia do período de espera é quinta-feira -, com a entrada de um novo swell, a prova deverá retomar. Quando isso acontecer, esperemos que Vasco Ribeiro continue em grande e leve o sonho até final.

    Round 3 (1st and 2nd advance, 3rd = 33rd place, 4th = 49th place)
    H1: Wade Carmichael (AUS), Jadson Andre (BRA), Charles Martin (FRA), Gatien Delahaye (FRA)
    H2: Griffin Colapinto (USA), Soli Bailey (AUS), Patrick Gudauskas (USA), Dylan Lightfoot (ZAF)
    H3: Sebastian Zietz (HAW), Joel Parkinson (AUS), Kalani Ball (AUS), Kainehe Hunt (HAW)
    H4: Jack Robinson (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA), Kanoa Igarashi (JPN), Reef Heazlewood (AUS)
    H5: Jack Freestone (AUS), Owen Wright (AUS), Deivid Silva (BRA), Michael February (ZAF)
    H6: Ryan Callinan (AUS), Carlos Munoz (CRI), Lucas Silveira (BRA), Willian Cardoso (BRA)
    H7: Alonso Correa (PER), Joan Duru (FRA), Matt Wilkinson (AUS), Ramzi Boukhiam (MAR)
    H8: Matthew McGillivray (ZAF), Filipe Toledo (BRA), Nathan Florence (HAW), Aritz Aranburu (ESP)
    H9: Italo Ferreira (BRA), Kyuss King (AUS), Billy Kemper (HAW), Caio Ibelli (BRA)
    H10: Vasco Ribeiro (PRT), Tanner Gudauskas (USA), Yago Dora (BRA), Tomas Hermes (BRA)
    H11: Beyrick De Vries (ZAF), Peterson Crisanto (BRA), Jeronimo Vargas (BRA), Conner Coffin (USA)
    H12: Matt Banting (AUS), Miguel Pupo (BRA), Adrian Buchan (AUS), Seth Moniz (HAW)
    H13: Ricardo Christie (NZL), Michel Bourez (PYF), Joshua Moniz (HAW), Michael O’Shaughnessy (HAW)
    H14: Ezekiel Lau (HAW), Jesse Mendes (BRA), Ian Crane (USA), Bino Lopes (BRA)
    H15: Connor O’Leary (AUS), Maxime Huscenot (FRA), Ian Gouveia (BRA), Stu Kennedy (AUS)
    H16: Weslley Dantas (BRA), Jordy Smith (ZAF), Tanner Hendrickson (HAW), Alejo Muniz (BRA)

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram