Homepage

  • Do que precisa Vasco para chegar ao CT?
    02 dezembro 2018
    arrow
  • Vasco tem agora um requisito maior, pois só lhe interessa chegar à final, mas são cada vez menos os adversários diretos a intrometerem-se no caminho.
  • Dia após dia, jornada após jornada em Sunset Beach, no Havai, vão caindo cada vez mais candidatos a uma vaga no World Tour 2019. São poucos os que ao fim de três dias de prova na mítica onda de Oahu ainda mantêm o sonho vivo. Mais concretamente, são ainda 18 surfistas na luta por 5 vagas – praticamente 4, para sermos mais coerentes. E um deles, para nossa alegria, é português.

    Vasco Ribeiro viveu um dia em cheio, este sábado, durante a 3.ª ronda do QS10000 de Sunset, a Vans World Cup. O surfista da praia da Poça mostrou um excelente nível de surf, adaptando-se muito bem às ondas e também ao equipamento. O surf power de Vasco permitiu-lhe alcançar, mesmo, o melhor score da ronda e, assim, manter vivo o sonho da qualificação para a elite mundial.

    Aliás, comparando com o cenário antes de a prova começar, o sonho até está ainda mais vivo, pois as contas começam a ficar mais claras e, apesar de já ter um requisito maior, há cada vez menos obstáculos pelo caminho e as rondas finais estão cada vez mais perto. Tudo será decidido no dia final em Sunset, que deverá acontecer a meio da semana.

    Resumindo, estão ainda 18 surfistas na luta, mas só 5 deles irão festejar no final. E nestas contas até podemos considerar que Leonardo Fioravanti é aquele que está mais perto de fazê-lo, pois já tem pé e meio no WCT 2019, naquele que será um regresso do italiano à elite mundial.

    Depois, fazendo um balanço a meio do campeonato, existem já mudanças num top 12 virtual. Basicamente, com a chegada de Jesse Mendes e Soli Bailey à 4.ª ronda, o brasileiro Mateus Herdy e o francês Jorgann Couzinet perderam o comboio da qualificação, pois foram eliminados em rondas anteriores.

    Assim está neste momento um ranking virtual de qualificação:

    1 - Kanoa Igarashi, 26800*
    2 – Seth Moniz, 22300
    3 – Ryan Callinan, 21460
    4 – Peterson Crisanto, 20750
    5 – Griffin Colapinto, 20100*
    6 – Deivid Silva, 19860
    7 – Ricardo Christie, 18750 pontos

    ------------ qualificados -------------
    8 – Leonardo Fioravanti, 17150 pontos
    9 – Jadson Andre, 15160 pontos
    10 – Jesse Mendes, 14350 pontos
    11 – Ethan Ewing, 14030 (eliminado)
    12 – Soli Bailey, 14000 pontos

    *Surfistas em lugares de qualificação pelo WCT

    Entre os surfistas que estão no cut, mas ainda sem garantia de qualificação, Leo Fioravanti, Jadson Andre, Jesse Mendes e Soli Bailey continuam em prova, e poderão melhorar ainda mais as respetivas pontuações. Mas o australiano Ethan Ewing já saiu de cena e, caso Bailey avance mais uma ronda, ficará ele no “elástico”, colocando o “cut” apenas mais 30 pontos acima da pontuação atual. Ewing tem assim o lugar na elite em risco e poderá ser ele o alvo a abater para os que vêm atrás.

    O facto de o “cut” ter passado dos 13250 pontos que Jesse Mendes faria ao entrar automaticamente em prova para os 14000 pontos atuais de Soli Bailey pode ser visto como uma má notícia para Vasco, que assim viu o seu requisito ser aumentado. Antes de o campeonato começar, um 7.º lugar poderia dar matematicamente a qualificação ao português, embora realisticamente a probabilidade de isso acontecer fosse muito baixa.

    Agora, já nem o 5.º lugar serve ao surfista português. Para se qualificar Vasco terá mesmo de chegar à final. Matematicamente, um 4.º lugar – a final em Sunset é a 4 surfistas – ainda serve a Vasco Ribeiro, porque lhe daria 14875 pontos, mas teria sempre de esperar por várias combinações extra de resultados dos adversários nesta equilibrada luta.

    Um 3.º ou 2.º lugar também pode valer a qualificação a Vasco, embora o deixem igualmente dependente de terceiros – mesmo que sejam menos os adversários nestes casos. No entanto, o campeão mundial júnior de 2014 está dependente apenas dele próprio para garantir uma vaga no CT de 2019, pois a vitória no evento garante-lhe matematicamente e automaticamente a qualificação.

    Ainda assim, há outros aspetos positivos a favor de Vasco. O maior deles é o facto de entre ele, que começou a prova no 32.º posto do ranking, mas que já vai virtualmente com 10675 pontos, e o “cut” restarem apenas dois surfistas em prova: o brasileiro Miguel Pupo e o australiano Jack Freestone. Depois, há ainda 11 surfistas que vêm atrás no ranking, mas para esses é “apenas” preciso garantir que não farão melhor que o surfista português.

    Contas de Vasco Ribeiro:

    - Se Vasco vencer o campeonato faz 18575 pontos, o que lhe daria o 8.º lugar virtual do ranking e a qualificação certa para o WCT;

    Neste cenário Vasco não poderia ser ultrapassado por mais que 4 surfistas, sendo que na realidade apenas um máximo de 4 tem a possibilidade de o fazer… Para superar o português:

    -Leo Fioravanti teria de fazer 13.º lugar ou melhor;

    - Jadson Andre teria de fazer 4.º lugar ou melhor;

    - Jesse Mendes e Soli Bailey teriam de fazer 3.º lugar ou melhor;

    - Jack Freestone teria de fazer 2.º lugar;

    Como apenas quatro surfistas podem estar na final, e, neste caso, o português seria um deles, a lógica dava logo a Vasco a qualificação, mesmo que fosse no 12.º posto.

     

    - Se Vasco for 2.º faz 16575 pontos, o que lhe daria o 9.º lugar virtual do ranking;

    Neste cenário Vasco teria ainda de esperar que não sejam mais do que 3 surfistas a fazer os seguintes resultados:

    - Jadson Andre 13.º ou melhor;

    - Soli Bailey e Jesse Mendes 7.º ou melhor;

    - Miguel Pupo e Jack Freestone 4.º ou melhor;

    - Matthew McGillivray, Weslley Dantas, Alonso Correa, Tanner Gudauskas, Matt Banting, Jack Robinson ou Joan Duru ganhar o campeonato;

     

    - Se Vasco for 3.º faz 15275 pontos, o que lhe daria o 9.º lugar virtual do ranking;

    Neste cenário Vasco teria ainda de esperar que não sejam mais do que 3 surfistas a fazer os seguintes resultados:

    - Jadson Andre 17.º ou melhor;

    - Jesse Mendes e Soli Bailey 13.º ou melhor;

    - Miguel Pupo e Jack Freestone 7.º ou melhor;

    - Matthew McGillivray, Nat Young, Weslley Dantas e Tanner Gudauskas 2.º ou melhor;

    - Alonso Correa, Matt Banting, Jack Robinson, Joan Duru, Maxime Huscenot, Carlos Muñoz, Connor O’Leary ou Beyrick de Vries ganhar o campeonato;

     

    - Se Vasco for 4.º faz 14875 pontos, o que lhe daria o 10.º lugar virtual do ranking;

    Neste cenário Vasco teria ainda de esperar que não sejam mais do que 2 surfistas a fazer os seguintes resultados:

    - Jesse Mendes e Soli Bailey 13.º lugar ou melhor;

    - Miguel Pupo e Jack Freestone 7.º lugar ou melhor;

    - Matthew McGillivray, Weslley Dantas, Alonso Correa, Tanner Gudauskas, Matt Banting, Jack Robinson e Joan Duru 2.º lugar ou melhor;

    - Maxime Huscenot, Carlos Muñoz, Connor O’Leary ou Beyrick de Vries ganhar o campeonato;

     

    Mas esta renhida luta pela qualificação será obrigatoriamente reduzida a, pelo menos, 14 surfistas nos quartos-de-final em Sunset, uma vez que a disposição dos heats vai fazer com que, pelo menos, 4 deles sejam eliminados – estão em baterias que contam com mais que dois surfistas incluídos nestas contas. Resta saber quais os que vão cair já na próxima ronda e se serão apenas 4 ou se serão ainda mais…

    Por fim, o último surfista que tem ainda possibilidade de qualificação – e consequentemente com o requisito mais elevado - é o sul-africano Beyrick de Vries, que neste momento já precisa de vencer o campeonato e esperar ainda pelo resultado de terceiros. Carlos Muñoz, Connor O’Leary, Maxime Huscenot, Jack Robinson, Joan Duru, Matt Banting, Tanner Gudauskas, Alonso Correa, Weslley Dantas e Matthew McGillivray são os outros nomes que entram nestas contas, sendo que Duru e O’Leary fazem parte do WCT e também podem requalificar-se por lá.

    ----- cut ------

    13 – Jorgann Couzinet, 13660 (pior resultado: 1260; eliminado)
    14 – Pat Gudauskas, 12780 (pior resultado: 600; eliminado)
    15 – Mateus Herdy, 12960 (pior resultado: 1050; eliminado)
    16 – Alejo Muniz, 12710 (pior resultado: 1680; eliminado)
    17 – Mikey Wright, 12405 (pior resultado: 555; não vai à prova)*
    18 – Evan Geiselman, 12210 (pior resultado: 1260; eliminado)
    19 – Jake Marshall, 12075 (pior resultado: 900; eliminado)
    20 – Miguel Pupo, 11880 (pior resultado: 1550; já está virtualmente nos 12430 pontos) 
    21 – Tanner Hendrickson, 11700 (pior resultado: 900; eliminado)
    22 – Jack Freestone, 11450 (pior resultado: 650; já está virtualmente nos 12900 pontos)
    23 – Reef Heazlewood, 11430 (pior resultado: 700; eliminado)
    24 – Yago Dora, 10900 (pior resultado: 1000; eliminado)*
    25 – Bino Lopes, 10710 (pior resultado: 1050; eliminado)
    26 – Dion Atkinson, 10440 (pior resultado: 840; eliminado)
    27 – Joel Parkinson, 10000 (pior resultado: -)**
    28 – Barron Mamiya, 9600 (pior resultado: 700; eliminado)
    29 – Alex Ribeiro, 9350 (pior resultado: 1000; eliminado)
    30 – Michael Rodrigues, 9340 (pior resultado: 600; não entrou em prova)*
    31 – Thiago Camarao, 9190 (pior resultado: 600; eliminado)
    32 – Vasco Ribeiro, 9175 (pior resultado: 600; já está virtualmente nos 10675 pontos)
    33 – Matthew McGillivray, 8750 (pior resultado: 1000; entra no cut se for à final)
    34 – Nat Young, 8490 (pior resultado: 700; eliminado)
    35 – Stuart Kennedy, 8250 (pior resultado: 1000; eliminado)
    36 – Italo Ferreira, 8,100 (pior resultado: -)*
    37 – Weslley Dantas, 8085 (pior resultado: 600; entra no cut se for 3.º ou melhor)
    38 – Charly Martin, 8000 (pior resultado: 1000; eliminado)
    39 – Alonso Correa, 7985 (pior resultado: 900; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    40 – Tanner Gudauskas, 7950 (pior resultado: 550; entra no cut se for 3.º ou melhor)
    41 – Matt Banting, 7850 (pior resultado: 600; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    42 – Joan Duru, 7710 (pior resultado: 630; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    43 – Ezekiel Lau, 7700 (pior resultado: 600;)*
    44 – Hiroto Ohhara, 7640 (pior resultado: 700; eliminado)
    45 – Michael February, 7600 (pior resultado: 550; eliminado)
    46 – Jack Robinson, 7540 (pior resultado: 600; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    47 – Cam Richards, 7510 (pior resultado: 500; eliminado)
    48 – Frederico Morais, 7460 (pior resultado: 700; não entrou em prova)
    49 – Wade Carmichael, 7450 (pior resultado: -;)*
    50 – Maxime Huscenot, 7395 (pior resultado: 1125; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    (...)
    53 - Carlos Muñoz, 6950 (pior resultado: 840; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    60 - Connor O'Leary, 6650 (pior resultado:550; entra no cut se for 2.º ou melhor)
    62 - Beyrick de Vries, 6620 (pior resultado: 840; entra no cut se ganhar o campeonato)

    P.S.: O 12.º posto do ranking do WQS pode não dar qualificação direta, caso o norte-americano Griffin Colapinto, atual 20.º do ranking do WCT, não segure a posição dentro do "cut". Algo que se apresenta, de alguma forma, como pouco provável. Mas essas contas só serão feitas numa fase posterior, antes da última etapa do World Tour, em Pipeline.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Outras Notícias Relacionadas