Homepage

  • Jordy levou World Team ao triunfo
    07 maio 2018
    arrow
  • A incerteza manteve-se até ao final e, depois de quase terem sido eliminados na qualificação, a equipa do Resto do Mundo conseguiu bater o Brasil num "sprint" emocionante.
  • Disputou-se no passado fim-de-semana a muito aguardada e histórica WSL Founders Cup, o primeiro evento aberto ao público e transmitido para todo o mundo realizado no Surf Ranch, a famosa piscina de ondas desenvolvida por Kelly Slater. No final, após dois dias de competição, o triunfo sorriu à Equipa do Resto do Mundo, com o obreiro desta vitória a ter um nome: Jordy Smith.

    A competirem por equipas, as performances individuais tinham de ser alicerçadas umas às outras para renderem pontos rumo à vitória final. No sábado disputou-se a primeira parte da ronda de qualificação, onde Frederico Morais esteve em prova pela equipa europeia. E neste primeiro dia viu-se de tudo…

    Apesar de já estar muito virada para um formato olímpico, sobretudo em termos de transmissão e dinâmica, ainda se notaram algumas falhas, sobretudo no tempo de espera e na informação passada para os espectadores. O pior foi mesmo a longa paragem já perto do final do dia, que abriu portas para as vozes críticas também aparecerem na festa.

    Mas no que diz respeito à ação foi possível ver um 10, de Filipe Toledo, aéreos soberbos, com Jordy e John John à cabeça, Kelly a ripar como poucos, ou não fosse aquele o seu novo quintal, e ainda prestação medíocres, que demonstraram que, apesar de ser perfeita, a onda não é nada fácil de surfar. Muitos ficaram dentro do tubo, outros foram perdendo secções, devido à velocidade extrema da onda. Resumindo, só os melhores deram nas vistas…

    Quanto a Kikas, o surfista português conseguiu uma prestação intermédia, mas faltou-lhe ondas na casa do excelente para ajudar a equipa da Europa a alcançar outro patamar. Entre os homens só Joel Parkinson teve um total pior que Frederico. O resultado disso foi a eliminação europeia e australiana logo na ronda inaugural – os australianos ainda foram a um surf off com a Equipa do Mundo, depois de terem terminado a qualificação exatamente com a mesma pontuação.

    No domingo, já depois da run final de qualificação, disputou-se a grande final, num formato já bem diferente. Um dos grandes derrotados do dia foi John John Florence, que não conseguiu ajudar a equipa dos Estados Unidos com pontos, eles que tinham sido os grandes dominadores da competição. Medina foi assim o vencedor da primeira disputa e lançou o Brasil na frente. Lakey Peterson respondeu para os States no heat seguinte, enquanto a equipa do Resto do Mundo ia pontuando mesmo sem vencer qualquer disputa.

    No terceiro heat Kanoa Igarashi deu a primeira alegria ao Resto do Mundo e tudo ficava equilibrado. Depois, Silvana venceu a última bateria de mulheres, com a pontuação já a dobrar, e deixou o Brasil com uma mão na Taça. Mas tudo se decidiria no heat final, com os pontas de lança das equipas. Tal como havia começado, Jordy acabou a partir a louça e colocou a pressão nos rivais. Toledo também estava incrível, mas vacilou nas duas ondas.

    Por fim, Kelly fechou as hostilidades em grande e só lhe faltou acertar um aéreo no final para levar o público à apoteose. Os 9,00 da última onda surfada neste campeonato não permitiram ao 11 vezes campeão mundial superar a performance de Jordy Smith, mas deixaram-no à frente de Toledo, garantindo assim que a equipa do Resto do Mundo terminava a prova na liderança isolada, isto depois de quase terem sido eliminados na ronda inaugural.

    Resumindo, a tão aguardada Founders Cup trouxe emoção e incerteza até ao final e nisso não se pode apontar nada. A ronda final esteve a ferro e fogo e não faltou o suspense pelo triunfo. Falta talvez melhorar a experiência do telespectador, sobretudo naquele formato inicial de qualificação e tudo poderá ser ainda mais aliciante.

    No entanto, estamos já à espera do próximo episódio, quando os melhores surfistas do Mundo foram até Lemoore novamente para o Surf Ranch Open, a oitava etapa do World Tour, que se disputará entre 6 e 9 de setembro. Para já, fica a certeza que os surfistas mais evoluídos tecnicamente, como Toledo, John John, Jordy, Medina ou até Julian Wilson, que surpreendentemente não esteve nesta prova, irão ter vantagem sobre os demais…


    Tabela final (consulta os resultados finais aqui):
     
    1 - World Team 
    2 - Brazil Team
    3 - USA Team 
    4 - Australia Team
    5 - Europe Team

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Galeria