Homepage

  • WSL anuncia mudanças no World Tour 2018
    10 março 2018
    arrow
  • À margem das novidades competitivas, já são conhecidos os wildcards para o Quiksilver e Roxy Pro Gold Coast e há ainda muito suspense em torno da participação de Kelly Slater.
  • As surpresas e as mudanças por parte da WSL no World Tour não param e esta sexta-feira foram anunciadas mais medidas para o arranque dos circuitos mundiais, masculino e feminino, que arrancam já esta madrugada na Gold Coast. A maior das novidades é mesmo o fim das rondas de repescagens intermédias.

    Basicamente, o segundo roud, que também é de repescagem, mantém-se tanto nos homens como nas mulheres. O que vai acabar mesmo é a quinta ronda nas provas masculinas e quarta nas femininas, fazendo que com na fase anterior a essas, onde os heats são de três surfistas, dois deles avancem diretamente para os quartos-de-final e o outro termine no 9.º posto do campeonato.

    Depois de no início do ano já ter anunciado as transmissões no Facebook em exclusivo, a WSL anuncia agora mais mudanças, que visam ir ao encontro da principal, que sucederá em 2019, com a mudança estrutural e de datas do World Tour. Mas há mais. A WSL vai apresentar já na primeira etapa um webcast em espanhol, de forma a alcançar ainda mais fãs por todo o mundo.

    “A nossa equipa trabalhou duro na pré-temporada com o objetivo comum de continuar a aumentar a visibilidade do surf por todo mundo”, começou por dizer Sophie Goldschmidt, CEO da WSL. “Estamos orgulhosos por receber grandes parceiros para a família WSL e novos espectadores por todo o mundo. Estamos entusiasmados em capitalizar as inovações para oferecer a melhor experiência possível para o surfe profissional”, frisou.

    Por fim, destaque para o “overlapping”, ou seja, baterias em simultâneo, tal como acontece tradicionalmente no Pipe Masters. Anteriormente, esse formato já podia ser usado em Pipeline, mas também em Bells Beach e J-Bay. Agora, também poderá ser utilizado em Snapper Rocks, já nesta primeira etapa, e ainda em Hossegor, na França. Ou seja, tudo converge no sentido de diminuir o tempo de prova, de forma a aproveitar as melhores ondulações e de tornar o circuito mais apelativo para o “consumidor”.

    Trials e "bomba" 

    Depois deste novo anúncio da WSL a ação arrancou em Snappers, mas com os trials. O italiano Leo Fioravanti foi o vencedor do lado masculino, garantindo um regresso temporário à elite mundial, de onde saiu no ano passado. Fioravanti vai enfrentar os brasileiros Gabriel Medina e Italo Ferreira no heat 5 da ronda inaugural.

    Já Mikey Wright, o convidado da organização e líder do ranking do WQS, mede forças com o bicampeão mundial John John Florence e ainda com o rookie norte-americano Griffin Colapinto. Já os trials femininos foram vencidos pela sul-africana Bianca Buitendag, que também regressa à elite mundial feminina por um evento. Bianca vai enfrentar a bicampeã mundial Tyler Wright e a havaiana Malia Manuel no heat 3 da ronda inaugural.

    No entanto, há ainda muito suspense em torno da lista de heats, uma vez que Kelly Slater decidiu “soltar uma bomba” em vésperas da prova arrancar. O 11 vezes campeão mundial admitiu, em declarações ao site “Surfline”, que está lesionado num pé e não deverá competir. Mas sem dar certezas, como já é seu timbre.

    Uma dúvida que só deverá ser desfeita quando a prova for para a água. Algo que pode acontecer já esta madrugada. O primeiro call da temporada está marcado para as 7 horas locais – 21 horas em Portugal Continental.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Galeria