Homepage

  • WSL e ISA acordam número de vagas nos JO
    22 dezembro 2017
    arrow
  • 18 dos 40 surfistas que vão marcar presença em Tóquio vão sair dos rankings do World Tour, com os restantes a serem apurados em provas da ISA.
  • World Surf League (WSL) e Associação Internacional de Surf (ISA) anunciaram esta quinta-feira que chegaram a acordo em relação ao número de vagas a atribuir para a participação do surf nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020. O apuramento dos surfistas olímpicos vai ser feito através dos Mundiais e outras provas da ISA, mas também do World Tour da WSL.

    O acordo alcançado prevê que 18 dos 40 surfistas que irão marcar presença em Tóquio’2020 sejam apurados através do ranking do World Tour, sendo 10 deles masculinos e 8 femininas. Dessa forma, duas surfistas poderão terminar a temporada com a presença no Japão garantida, mas também com a saída da elite mundial consumada – só o top 6 garante automaticamente a qualificação.

    As outras 22 vagas serão determinadas através dos Mundiais ISA de 2019 e 2020, mas também através dos Jogos Pan-americanos de 2019, o que constitui uma grande vantagem para surfistas sul, centro e norte-americanos. Surfistas, esses, que por tradição costumam dar-se melhor nos Mundiais da ISA. A juntar a isto, existem ainda duas vagas para surfistas japoneses, uma para a prova masculina e outra para a feminina.

    No entanto, esse domínio dos surfistas latinos nos Mundiais ISA pode vir a mudar, uma vez que as regras de elegibilidade para os JO, exigem que os surfistas do World Tour se disponibilizem para competir com as equipas dos seus países nos ISA World Surfing Games de 2019 e 2020. Todos precisam se qualificar pelas seleções nacionais para poderem representar os respetivos países na disputa por medalhas nos Jogos de Tóquio.

    “Estamos felizes por alcançar este acordo histórico com a WSL sobre a participação das suas principais estrelas nos Jogos Olímpicos e no ISA World Surfing Games. O apoio e colaboração da WSL e dos seus melhores surfistas profissionais, sempre foi uma parte importante do nosso caminho olímpico para Tóquio’2020 e para os próximos Jogos”, afirmou Fernando Aguerre, presidente da ISA.

    Por sua vez, Sophie Goldschmidt, nova CEO da WSL, frisou a importância dos Jogos Olímpicos para a modalidade. “As Olimpíadas oferecem uma plataforma incrível para qualquer modalidade desportiva e o surf pode beneficiar desta grande oportunidade em 2020. É essencial que possamos aproveitar ao máximo essa oportunidade e a participação dos melhores surfistas do mundo é fundamental para isso. Foi ótimo que a ISA e a WSL, em reuniões com os próprios atletas, pudessem chegar a um acordo sobre o processo de qualificação para 2020”, explicou.

    “O surf tem a capacidade de revigorar os Jogos Olímpicos de Tóquio’2020. Os atletas estão entusiasmados em mostrar suas habilidades na maior competição desportiva do mundo e pela oportunidade do surf ser reconhecido como um desporto verdadeiramente profissional”, vincou Ace Buchan, representante dos surfistas do World Tour. Sage Erickson, representante das surfistas do WWT, também se mostrou feliz por este desfecho. “Foi ótimo que a WSL e a ISA tenham chegado a um acordo sobre o caminho de qualificação para as Olimpíadas de 2020. É uma grande oportunidade para o nosso desporto e precisamos aproveitar ao máximo”, concluiu.

Galeria