Homepage

  • Slater volta em grande e já mira o título
    14 dezembro 2017
    arrow
  • Onze vezes campeão mundial regressou à competição após cinco meses de ausência e quer ter uma palavra a dizer na decisão do campeão mundial.
  • Foram cinco meses de baixa, depois do tubo que lhe provocou um dedo do pé partida, em Jeffreys-Bay. Agora, Slater voltou à ação e voltou em grande. Logo em Pipeline, onde dos sítios onde estabeleceu com maior sucesso o seu reinado. Kelly é o recordista de vitórias na meca do surf mundial. Já lá conquistou sete títulos e em 2017 já pisca o olho a mais um. Ou pelo menos, garante que quer entrar nas contas da luta pelo título, onde certamente atrapalhará bastante os candidatos que lhe surgirem à frente.

    Apesar de ainda não ter dado um espetáculo exuberante, KS exibiu muita frieza competitiva para levar de vencido o heat 8 da ronda inaugural do Billabong Pipe Masters, onde bateu o francês Joan Duru e o compatriota Kolohe Andino. O 11 vezes campeão mundial foi assim notícia pelo regresso em grande à competição, naquela que seria a sua última etapa da carreira, mas que depois da lesão já deixou novamente todos a questionarem-se se o rei vai mesmo abdicar do trono… até porque no próximo ano o circuito vai passar pela piscina que o próprio criou.

    Dúvidas à parte, a verdade é que Slater está mais confiante que nunca, mesmo com o pé sem estar a 100 por cento. “Se as coisas me correrem bem posso estar envolvido na luta pelo título de forma indireta. Espero poder estar nessa luta. E se eu lá estiver é bom que eles estejam preparados para isso”, avisou o 11 vezes campeão mundial, após o heat de regresso em Pipeline. A mensagem foi passada e John John Florence, Gabriel Medina, Jordy Smith e Julian Wilson certamente que fiquem bem atentos.

    O rei tem mesmo razão. Até pode ser já na 3.ª ronda que encontre um dos candidatos ao título pela frente. As contas são simples. O australiano Josh Kerr é o único surfista já qualificado para a terceira ronda com pior seeding que Slater. Ora, virtualmente Kerrzy irá enfrentar John John John. Mas falta saber se os outros surfistas com seeding abaixo avançam da 2.ª ronda, onde terão pela frente os principais nomes do WCT.

    Ora, Medina tem pela frente Dusty Payne e Julian vai medir forças com Benji Brand. Para seguirem na luta terão de vencer os wildcards havaianos. Dessa forma, restaria Owen Wright vencer Ethan Ewing e Matt Wilkinson fazer o mesmo com Stu Kennedy para Kerr manter-se como adversário de John John. Depois, sobram os embates entre Adriano de Souza e Jadson Andre e Kolohe Andino e Jack Freestone. Nesta lógica, se Adriano e Kolohe vencerem… Kelly Slater será o adversário de Medina no round 3.

    Mesmo que avance um destes nomes menos cotados, Slater vai medir forças com Jordy na 3.ª ronda. Se avançarem dois terá Julian pela frente. Serão, por isso, precisas algumas surpresas para que Kelly não entre já na luta pelo título na próxima fase do Pipe Masters. Não para ganhá-lo, mas para atrapalhar muitos dos que o querem vencer. E o rei até tem algo a dizer sobre a disputa e a incrível recuperação de Medina no ranking. “A pressão está do lado do John John, porque se o Gabriel ‘roubar’ esse título, seria uma coisa enorme na rivalidade deles. Estou contente por vê-los e enfrentarem-se”, comentou KS.

    Agora, resta esperar que as condições ideais se alinhem em Pipeline para retomarmos esta interessante luta pelo título mundial e percebermos se Kelly Slater terá ou não uma palavra a dizer. Ou até se irá conseguir ser Pipe Masters por mais uma vez, para depois refletir bem sobre a continuidade no World Tour. Entretanto, esta quinta-feira é possível que a bancada rainha do surf mundial continue a ser varrida pelo enorme swell que chegou ao Havai, devendo a ação retomar apenas na sexta-feira. Mas já sabemos que quando a prova retomar haverão vários príncipes na luta. E um rei a querer ditar a sua lei.

Galeria