Homepage

  • Frederico Morais termina no top 15 mundial
    18 dezembro 2017
    arrow
  • Kikas perdeu a luta pelo título de rookie de 2017, mas garantiu já a melhor classificação de sempre de um português no WCT.
  • Não correu da melhor forma a última etapa do ano a Frederico Morais. A eliminação na segunda ronda em Pipeline, permitiu ao australiano Connor O’Leary, que só caiu na terceira ronda, ultrapassar o português no ranking e carimbar a conquista do título de rookie don World Tour 2017.

    "O que tiro de melhor deste ano é a requalificação e o facto de poder a viver tudo isto novamente no próximo ano! Não estou contente por o ano ter terminado desta forma mas posso dizer que me diverti muito em 2017 e que senti o apoio de todos, por isso, obrigado a todos! Agora, vou trabalhar no meu surf e procurar melhorá-lo em todos os aspectos. Felizmente, tenho a sorte de viver em Portugal e em temos tantas boas ondas, pelo que espero que este seja um bom Inverno, com boas ondulações" afirmou o surfista depois do heat.

    No entanto, este resultado em nada belisca o excelente ano de estreia de Kikas na elite mundial. O rookie português garantiu mesmo a melhor prestação de sempre de um português no WCT, superando o 21.º posto de Tiago Pires em 2010. Isto porque Frederico já tem garantido que vai ser top 15 mundial após Pipeline.

    Kikas começou a etapa no 13.º posto do ranking, mas, entretanto, foi ultrapassado por O’Leary, caindo virtualmente para o 14.º posto. E o surfista de Cascais ainda pode ser ultrapassado por alguns surfistas, mas a matemática mostra que é impossível passar do 15.º lugar para baixo.

    Dos 12 surfistas ainda em prova no Pipe Masters, apenas Caio Ibelli, Kanoa Igarashi e Conner Coffin podem ultrapassar os atuais 29.900 pontos de Kikas. No entanto, todos eles precisam de ganhar a etapa para superar os pontos do português. Ora, é aqui que entra a lógica… Como no final do evento apenas pode haver um vencedor, Frederico Morais só será eventualmente passado no máximo por um deles.

    Caso o triunfo não seja de Ibelli, Igarashi ou Coffin, Kikas vai terminar o ano no 14.º posto final do ranking. Pelo meio destes três surfistas há ainda o francês Jeremy Flores, que é 19.º do ranking. No entanto, o facto de ir descartar um resultado mais alto, faz com que nem um triunfo chegue ao gaulês para superar Kikas. A dúvida é agora saber se Frederico termina o ano como 14.º ou 15.º classificado. Um resultado digno de elogios.

Galeria
Outras Notícias Relacionadas