Homepage

  • Deivid Silva vence o melhor QS3000 do Mundo
    06 novembro 2017
    arrow
  • Surfista brasileiro bateu Gabriel Medina na sua própria casa e ainda o líder do ranking do WQS para conquistar o segundo evento consecutivo em duas semanas.
  • Deivid Silva está imparável e venceu o segundo campeonato do WQS em duas semanas. Depois de conquistar um QS1500 em Itacaré, na Bahia, no final de outubro, o progressivo surfista brasileiro alcançou um imponente triunfo no Hang Loose São Sebastião Pro, um QS3000 que terminou este fim-de-semana em Maresias.

    Mas este não foi um QS3000 qualquer. Foi provavelmente o melhor QS3000 do Mundo. Que nos perdoe o “nosso” QS3000 de Santa Cruz, mas em Maresias estiveram em prova alguns dos melhores surfistas do World Tour, incluindo os ex-campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina, que competiu em “casa”.

    Mas nem esse fator casa fez com que Medina conseguisse vencer o evento. O atual número dois mundial aproveitou a pausa no Tour, antes de rumar ao Havai, onde vai lutar pelo título mundial em Pipeline, mas acabou por perder nos quartos-de-final. E o “carrasco” foi precisamente Deivid Silva.

    Depois de bater Medina por apenas 14 centésimas, o surfista que ficou no terceiro lugar do Mundial de juniores disputado na Ericeira em 2014, bateu ainda o número um do ranking WQS Jesse Mendes nas meias-finais. Já na final Silva somou 13,66 pontos contra 12,70 do compatriota Flavio Nakagima, que havia eliminado Mineirinho nos quartos-de-final. Com este triunfo, Silva subiu ao 21.º posto do ranking WQS e entrou na luta direta por uma vaga no Tour do próximo ano.

    Só para se ter noção do nível que esteve presente no campeonato, surfistas como Jadson Andre, Wigolly Dantas ou Ian Gouveia, todos membros da elite mundial, ficaram logo pelo caminho na 4.ª ronda. Miguel Pupo não passou da 5.ª ronda. Já Italo Ferreira, Adriano de Sousa e Gabriel Medina caíram nos quartos-de-final.

    Destaque ainda para a presença do jovem português Luís Perloiro neste campeonato, ele que foi um dos poucos surfistas não brasileiros a entrar em cena em Maresias. Mas a campanha do surfista da Linha terminou logo na 2.ª ronda, para a qual havia entrado de forma direta.

Galeria
Outras Notícias Relacionadas