Homepage

  • Manchas no mar da Madeira vão ser desmistificadas com drones
    19 outubro 2022
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Susana Prada, secretária regional do Ambiente e Alterações Climáticas, explicou que muitas vezes aparecem manchas no mar, à superfície, que deixam "dúvidas" sobre a sua origem.
  • O Governo da Madeira lançou um projeto que, com recurso a drones, monitoriza as manchas no mar, além de uma aplicação sobre os dados recolhidos, "desmistificando" a origem das manchas marítimas.

    O anúncio foi feito por Susana Prada, secretária regional do Ambiente e Alterações Climáticas. "Nós temo-nos empenhado muito em projetos que permitam aumentar a capacidade de monitorização da poluição e do lixo marinho", afirmou a responsável política no âmbito da apresentação do projeto ABACO - Melhoria da Qualidade das Águas Balneares e Costeiras da Macaronésia.

    Susan Prada salientou que o objetivo é "saber que tipo de lixo é que aparece, a sua origem", para depois ser possível "avaliar a sua proveniência, prevenir e eliminar os episódios de poluição e lixo marinho".

    A secretária regional do Ambiente e Alterações Climáticas explicou que muitas vezes aparecem manchas no mar, à superfície, que deixam "dúvidas" sobre a sua origem, podendo "ser efetivamente poluição".

    "Nós vamos no âmbito deste projeto, através de drones, fazer a recolha da amostra, que vai para um laboratório para ser analisada", adiantou.

    Segundo Susana Prada, o objetivo é "desmistificar, de uma vez por todas, o que são as manchas, que muitas vezes decorrem de processos naturais", sublinhou, apontando que podem ser também "micro-organismos, algas ou resultados da levadia".

    "Portanto, vai clarificar a composição daquelas manchas que, na maior parte das vezes, não é contaminação", acrescentou.

    Também permitirá avaliar a "dispersão das plumas [a água que sai das estações de tratamento de águas residuais, através das ribeiras ou descargas diretas para o mar]".

    "Queremos saber para onde essas plumas se dispersam: para a frente, para o oceano, ou, através das correntes, podem derivar para alguma zona balnear. [A ideia[ é poder intervir e proteger as zonas balneares", mencionou.

    A secretária regional disse que a nova aplicação - já em funcionamento - é "uma novidade deste projeto" e vai disponibilizar os dados sobre estas situações.

    Susana Prada destacou que qualquer pessoa que detete uma mancha no mar poderá contactar a Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente para dar conhecimento da situação que identificou.

    "Saem imediatamente os técnicos para recolher amostra, analisar e avaliar se é uma contaminação ou poluição", indicou.

    O projeto ABACO é cofinanciado pelo programa Interreg da União Europeia, sendo desenvolvido pelos arquipélagos da Macaronésia (Açores, Madeira, Cabo Verde e Canárias).

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • madeira
  • Drones
  • Portugal
  • Oceano Atlântico
  • Poluição marinha
  • Poluição
  • projecto
  • mancha
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
fevereiro 07
O tempo vai mudar esta quarta-feira: vem aí chuva em especial na região Sul
fevereiro 07
Seleção Nacional de Surf inicia operação Mundial ISA/Eurosurf com estágio em Peniche
fevereiro 07
Caparica recebe em março prova de qualificação para a Liga MEO Surf 2023
fevereiro 07
Cursos de Treinadores de Surfing Grau I/Surf Grau II da ASIP alargados a novos locais e já com inscrições abertas
fevereiro 07
Regressa a chuva e dois distritos estão sob aviso amarelo
fevereiro 06
Sintra Pro no calendário do Mundial de Bodyboard 2023, mas sem elite masculina
fevereiro 06
Temperatura a descer e a chuva deverá regressar esta semana