Homepage

  • Praia da Empa coroou primeiros vencedores do circuito Billabong Ericeira 2022 entre os mais novos
    26 julho 2022
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Pedro Broeiro/ESC
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A prova foi destinada às categorias Sub-12, Sub-14, Sub-16 , Sub-18 e Sub-18 feminino.
  • No passado fim de semana, a Praia da Empa foi palco da primeira etapa do circuito Billabong Ericeira 2022, by Native Açaí para as categorias Sub-12, Sub-14, Sub-16, Sub-18 e Sub-18 feminino.

    O primeiro dia de ação neste tradicional circuito de intersócios organizado pelo Ericeira Surf Clube proporcionou boas condições para os jovens surfistas em Backdoor e na Pedra Branca, tendo sido realizados 27 heats.

    Para o derradeiro dia de prova, as condições alteraram-se com a diminuição do tamanho da ondulação, que provocou uma paragem de cerca de duas horas durante a maré cheia. O aumento do vento norte também se fez sentir ao longo de todo o dia. Assim, o Reef foi o pico mais procurado pelos competidores.

    Em termos de vencedores, a categoria Sub-12 ficou marcada por uma surpresa. Em estreia neste circuito, Francisco Anglani levou de vencida a concorrência, confirmando assim os bons indicadores deixados na segunda etapa do circuito Sealand Santa Cruz 2022. Nas posições seguintes, ficaram Martinho Barros e os irmãos Tiago e Nando Hanssen.

    Entre os Sub-14, Tiago Guerra conquistou a vitória, batendo Salvador Dias, Ben d'Orey e Gustavo Viana. Tiago replicou a receita vitoriosa em Sub-16, depois de um intenso duelo com Afonso Pinto na final. Só nas últimas duas ondas é que Guerra reverteu a batalha a seu favor. Afonso Pinto foi assim o segundo classificado, enquanto Miguel Lages e Manuel Pirijinho alcançaram a terceira e quarta posições, respetivamente. 

    Na categoria Sub-18, um arranque muito forte de Tiago Faria embalou o jovem surfista para a vitória. Depois do vice-campeonato em Sub-16, Afonso Pinto voltou a ser segundo. O terceiro posto ficou para Francisco Queimado, enquanto Rodrigo Rocha foi quarto.

    Já a final da categoria Sub-18 feminino, realizada na Pedra Branca, teve uma das três manas Pinto presentes a gritar vitória. O triunfo coube a Matilde Pinto, diante de Eva Luna. Seguiram-se as irmãs de Matilde, Maria e Mafalda Pinto. 

    Concluída a etapa inaugural, a próxima etapa está prevista que seja colocada na água no final de agosto. 

    Resultados: 

    Sub-12

    1º Francisco Anglani
    2º Martinho Barros
    3º Tiago Hanssen
    4º Nando Hanssen

    Sub-14

    1º Tiago Guerra
    2º Salvador Dias
    3º Ben d’Orey
    4º Gustavo Viana

    Sub-16

    1º Tiago Guerra
    2º Afonso Pinto
    3º Miguel Lages
    4º Manuel Pirijinho

    Sub-18 feminino

    1ª Matilde Pinto
    2ª Eva Luna
    3ª Maria Pinto
    4ª Mafalda Pinto

    Sub-18

    1º Tiago Faria
    2º Afonso Pinto
    3º Francisco Queimado
    4º Rodrigo Rocha

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • ericeira
  • Ericeira Surf Clube
  • Competição
  • Surf
  • Circuito Intersócios
  • Tiago Guerra
  • Matilde Pinto
  • Francisco Anglani
  • Tiago Faria
  • Fotografia
    Pedro Broeiro/ESC
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
dezembro 06
Portugal com estreia positiva no Mundial de Para-surfing
dezembro 05
Frederico Morais para Teresa Bonvalot: 'Tens de estar é orgulhosa da atleta que foste este ano'
dezembro 05
Distritos de Faro e Beja com aviso laranja devido à chuva forte
dezembro 05
492 vidas já foram salvas pela Marinha desde o início do ano
dezembro 05
Mau tempo deixa todo o arquipélago dos Açores sob aviso amarelo
dezembro 05
Mundial ISA de Surf Adaptado já está na água: como ver a Seleção Nacional?
dezembro 05
Já não chega proteger a biodiversidade: restaurar é o caminho