Homepage

  • Ação humana afeta severamente os rios revela estudo internacional
    01 junho 2022
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Os resultados do estudo mostram, também, que os impactos humanos “afetam o funcionamento de rios e ribeiros, tanto quanto afetam a biodiversidade”.
  • A regularização de linhas de água, urbanização, agricultura ou a descarga de águas residuais afetam severamente os rios e ribeiros à escala global, revela um estudo internacional, divulgado esta quarta-feira, onde participou a Universidade de Coimbra (UC).

    No estudo, publicado na revista científica 'Global Change Biology', foram avaliados pela primeira vez, à escala global e com base em evidência cientifica publicada, os efeitos de diferentes impactos da ação humana em várias funções dos rios e ribeiros – como a capacidade de autodepuração, decomposição de matéria vegetal ou produção de organismos aquáticos — visando “compreender quais os impactos com efeitos mais fortes e quais as funções ecossistémicas mais sensíveis”, lê-se numa nota da UC enviada à agência noticiosa Lusa.

    A maior parte dos impactos humanos avaliados “tiveram efeitos negativos no funcionamento dos rios e ribeiros, como a redução na sua capacidade de autodepuração (na sua capacidade de consumir nutrientes), cadeias alimentares simplificadas e menos produtivas”, sublinhou, citada no comunicado, Verónica Ferreira, do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

    A investigadora, que fez parte do grupo de 10 cientistas do projeto, coordenado por Mário Brauns, do departamento de Ecologia Fluvial do Centro Helmholtz de Pesquisa Ambiental (Alemanha), observou ainda que a redução na capacidade de autodepuração de rios e ribeiros “é especialmente preocupante, já que altas concentrações de nutrientes na água são muitas vezes responsáveis por blooms [florescimentos] nocivos de algas”.

    Os resultados do estudo mostram, também, que os impactos humanos “afetam o funcionamento de rios e ribeiros, tanto quanto afetam a biodiversidade”.

    O estudo considera as áreas localizadas entre o paralelo 35 (35º de latitude acima da linha do Equador), onde se incluem territórios dos estados norte-americanos da Califórnia, Texas ou Carolina do Sul e países como a Argélia e Tunísia (norte de África), Índia, China ou Japão, entre outros e o Paralelo 53, que atravessa territórios do centro-norte europeu como o Reino Unido, Irlanda, Países Baixos, Alemanha, Polónia e Bielorrússia ou o estado do Alasca, nos EUA, entre outros.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Natureza
  • Meio Ambiente
  • Estudo
  • rios
  • Poluição
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
janeiro 26
Produção diária de energia eólica atingiu novo recorde em Portugal
janeiro 27
Revelado calendário dos circuitos regionais de surf para 2023
janeiro 27
Tempo frio vai continuar pelo menos até quinta-feira
janeiro 27
FPS anuncia 'grande mudança' no acesso aos circuitos em 2023
janeiro 26
Cidade chinesa regista temperatura recorde de -53ºC
janeiro 26
Frio fica para o fim de semana: todo o continente vai estar sob aviso amarelo
janeiro 26
FUEL TV lança programa de estágios