Homepage

  • Lançadas ao mar em Peniche as primeiras algas com crescimento controlado em laboratório
    02 junho 2022
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • As sementes das algas são apanhadas no mar e levadas para o laboratório do MARE de Leiria, onde são criadas durante dois meses no ambiente ideal para o seu crescimento.
  • Depois de dois meses no 'berço', com atletas, ambientalistas e cientistas unidos em torno do projeto ReGeneration Surf, já foram lançadas ao mar as primeiras algas com crescimento controlado em laboratório. Tudo aconteceu na passada segunda-feira.

    "É algo que nunca foi feito. Trata-se de um projeto-piloto e ainda em fase experimental, mas foi uma grande experiência reunirmo-nos há uns meses para aprender sobre o processo de reflorestação de algas e, agora, ativamente, fazer essa reflorestação, colocando as algas no oceano", salientou Natalie Fox, coordenadora do ReGeneration Surf, projeto apoiado pela World Surf League (WSL).

    Foi na Prainha de São Pedro, junto ao Museu Nacional Resistência e Liberdade, na Fortaleza de Peniche, que surfistas e ambientalistas pegaram nas pranchas e foram a remar até ao sítio escolhido para depositar as pequenas algas no fundo do mar.

    "Eu fiquei 'super' inspirado com este projeto desde o princípio, por poder acompanhar o crescimento do 'kelp' [algas] e, hoje [segunda-feira], chegar o dia em que finalmente libertámos o 'kelp' no mar. É 'super' inspirador ver que há um trabalho conjunto, que não é só dos cientistas ou dos biólogos, ou dos surfistas locais, é uma junção para um bem maior", realçou Miguel Blanco.

    As sementes das algas são apanhadas no mar e levadas para o laboratório do MARE de Leiria, onde são criadas durante dois meses no ambiente ideal para o seu crescimento, e ficam logo 'coladas' à gravilha para não se perderem no caminho para casa.

    A lógica é simples: aumentar a probabilidade de sobrevivência das 'pequerruchas', e assim ajudar à regeneração da floresta de algas em Peniche.

    "Temos de acordar, é agora, estamos a poluir cada vez mais a natureza e temos de acreditar num mundo melhor", afirmou Joana Andrade, apontando para a importância das algas marinhas no ecossistema, bem como o seu potencial económico, por exemplo, para fins medicinais.

     "Dizemos que é o planeta Terra, mas devia ser ao contrário, devia ser o planeta oceano, porque há mais mar do que terra. E nós somos 80% de água, portanto, quase toda a vida vem do oceano e temos de cada vez cuidar mais da nossa casa, que é o nosso planeta", disse a experiente big rider.

    "Achei espetacular, sinceramente. No fundo, é o equivalente a plantar uma árvore. E estar neste início é realmente muito especial", sublinhou João de Macedo.

    O projeto ReGeneration Surf é uma coligação de quatro organizações ambientalistas (Mossy Earth, Sea Forester, Oceans and Flow e Zero Waste Lab), parceiros da campanha 'We Are One Ocean' da WSL, e é um dos cinco projetos a nível mundial que estão a ser apoiados financeiramente pela entidade.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Portugal
  • Peniche
  • ReGeneration Surf Coalition
  • WSL
  • World Surf League
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
agosto 15
Verão tira folga para o surgimento de chuva no início da semana
agosto 16
Ramon Navarro campeão em Punta de Lobos
agosto 15
Sophia Medina campeã dos Jogos Pan-americanos
agosto 15
Tony Laureano enfrenta ondas gigantes chilenas em competição
agosto 15
Sismo sentido este domingo no Algarve
agosto 12
Vasco Ribeiro anuncia pausa na carreira
agosto 12
Banhos voltam a ser autorizados na Praia da Batata em Lagos