Homepage

  • Lisboa recebe a Conferência dos Oceanos até sexta-feira
    27 junho 2022
    arrow
    arrow
  • Portugal, em conjunto com o Quénia, organiza o segundo encontro, sob o lema 'Salvar os Oceanos, Proteger o Futuro'. É o maior evento de sempre dedicado à temática dos oceanos.
  • Mais de 7000 pessoas, entre elas representantes de 140 países, alguns ao mais alto nível, participam a partir desta segunda-feira em Lisboa na segunda Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, o maior evento de sempre dedicado ao tema.

    Depois de há cinco anos ter decorrido em Nova Iorque a primeira conferência, Portugal, em conjunto com o Quénia, organiza o segundo encontro, sob o lema 'Salvar os Oceanos, Proteger o Futuro'.

    É esse o tema que até à próxima sexta-feira, dia 1 de julho, reúne políticos, entre os quais 25 chefes de Estado e de governo e uma centena de ministros, pelo menos 38 agências especializadas e organizações internacionais, quase 1200 organizações não-governamentais e outras entidades, mais de 400 empresas e centena e meia de universidades.

    Os números fazem da conferência de Portugal o maior evento alguma vez realizado sobre os oceanos, os seus problemas, a forma de os proteger ou as oportunidades económicas, considerando-se que uma "transição verde" só é possível com uma "transição azul", que é o uso sustentável dos oceanos, assente na ciência e na tecnologia.

    O encontro decorrerá maioritariamente na Altice Arena, Parque das Nações, cujo programa principal tem agregadas três centenas de outros eventos, quatro deles especiais, organizados por Portugal, um simpósio de alto nível sobre a água, bem como um fórum sobre economia azul sustentável e investimento, na terça-feira.

    Até sexta-feira serão debatidos temas como o combate à poluição marinha, promover e fortalecer economias sustentáveis baseadas nos oceanos, gerir e conservar ecossistemas marinhos e costeiros, minimizar a acidificação, desoxigenação e aquecimento dos oceanos, tornar a pesca sustentável, aumentar o conhecimento científico e a tecnologia marinha, melhorar o uso sustentável dos oceanos, potenciar as ligações entre o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 14 (proteger a vida marinha) e outros objetivos da Agenda 2030.

    Portugal, como o Governo tem anunciado, espera que da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas saia a Declaração de Lisboa, que ajude a concretizar o ODS 14, que acelere o combate à poluição e que aumente a preservação da biodiversidade e a sustentabilidade. Simultaneamente, espera-se que seja generalizada a noção da importância dos oceanos no combate às alterações climáticas.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Portugal
  • ONU
  • Nações Unidas
  • Parque das Nações
  • Conferências
  • Conferência dos Oceanos
  • Conferência dos Oceanos das Nações Unidas
  • Cimeira
  • Oceanos
  • Natureza
  • Ecossistema
  • Sustentabilidade
  • Poluição
  • Poluição marinha
  • Alterações climáticas
  • Lisboa
  • biodiversidade
  • Biodiversidade marinha
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
dezembro 05
492 vidas já foram salvas pela Marinha desde o início do ano
dezembro 05
Mundial ISA de Surf Adaptado já está na água: como ver a Seleção Nacional?
dezembro 05
Frederico Morais para Teresa Bonvalot: 'Tens de estar é orgulhosa da atleta que foste este ano'
dezembro 05
Já não chega proteger a biodiversidade: restaurar é o caminho
dezembro 02
Ericeira Surf Clube participa em projeto que promove a sustentabilidade ambiental e não só
dezembro 02
Primeiro fim de semana de dezembro vai ser frio, cinzento e chuvoso
dezembro 02
Grupos central e oriental dos Açores com aviso amarelo devido ao mau tempo e mar agitado