Homepage

  • Criada zona de proteção marinha na Austrália com 100 mil quilómetros quadrados
    15 março 2022
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A iniciativa faz parte do plano 'Norte sem Redes', que pretende evitar a captura em redes comerciais de espécies ameaçadas de extinção.
  • Esta semana, a organização não-governamental Fundo Mundial para a Natureza (WWF) anunciou a criação de uma zona de proteção marinha, quase do tamanho de Cuba, a norte da grande barreira de coral australiana.

    O anúncio surgiu depois da WWF, considerada a maior ONG internacional de conservação da natureza, ter adquirido a licença para o uso de redes de pesca comerciais numa área com 100 mil quilómetros quadrados.

    A WWF pretende estabelecer um santuário para milhares de dugongos, tartarugas, golfinhos e outras espécies que habitam a região entre o Cabo Flattery e o estreito de Torres.

    A entidade ambientalista comprou a licença, por um valor não especificado, de uma associação de pescadores, que se preparava para implantar novas redes, ancoradas no fundo do mar e que capturam os peixes.

    “Não é uma prática normal para uma organização de conservação comprar licenças de pesca comercial para as não usar. No entanto, trata-se de uma maneira prática de remover a ameaça a uma secção do recife incrivelmente importante para espécies ameaçadas”, disse Richard Leck, o diretor para os oceanos da WWF Austrália.

    Apesar da criação desta área de proteção, apenas as autoridades australianas podem declarar a região da Grande Barreira de Coral como uma área especial de proteção permanente que exclui o uso de redes de pesca, acrescentou a WWF.

    “Ao comprar licenças, a WWF fez o trabalho pesado. Agora estamos a pedir aos governos australiano e [do estado] de Queensland que criem uma área de gestão especial sobre o extremo norte do recife para proteger permanentemente esta área da pesca comercial”, sublinhou Leck.

    A iniciativa faz parte do plano 'Norte sem Redes', que pretende evitar a captura em redes comerciais de espécies ameaçadas de extinção, como dugongos, tartarugas e golfinhos, além de tubarões-martelo e tubarão-dente-de-lança.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Natureza
  • Ecossistema
  • Austrália
  • Biodiversidade marinha
  • biodiversidade
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
janeiro 27
Tempo frio vai continuar pelo menos até quinta-feira
janeiro 27
FPS anuncia 'grande mudança' no acesso aos circuitos em 2023
janeiro 27
Revelado calendário dos circuitos regionais de surf para 2023
janeiro 26
Produção diária de energia eólica atingiu novo recorde em Portugal
janeiro 26
Cidade chinesa regista temperatura recorde de -53ºC
janeiro 26
Frio fica para o fim de semana: todo o continente vai estar sob aviso amarelo
janeiro 26
FUEL TV lança programa de estágios