Homepage

  • Criada zona de proteção marinha na Austrália com 100 mil quilómetros quadrados
    15 março 2022
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A iniciativa faz parte do plano 'Norte sem Redes', que pretende evitar a captura em redes comerciais de espécies ameaçadas de extinção.
  • Esta semana, a organização não-governamental Fundo Mundial para a Natureza (WWF) anunciou a criação de uma zona de proteção marinha, quase do tamanho de Cuba, a norte da grande barreira de coral australiana.

    O anúncio surgiu depois da WWF, considerada a maior ONG internacional de conservação da natureza, ter adquirido a licença para o uso de redes de pesca comerciais numa área com 100 mil quilómetros quadrados.

    A WWF pretende estabelecer um santuário para milhares de dugongos, tartarugas, golfinhos e outras espécies que habitam a região entre o Cabo Flattery e o estreito de Torres.

    A entidade ambientalista comprou a licença, por um valor não especificado, de uma associação de pescadores, que se preparava para implantar novas redes, ancoradas no fundo do mar e que capturam os peixes.

    “Não é uma prática normal para uma organização de conservação comprar licenças de pesca comercial para as não usar. No entanto, trata-se de uma maneira prática de remover a ameaça a uma secção do recife incrivelmente importante para espécies ameaçadas”, disse Richard Leck, o diretor para os oceanos da WWF Austrália.

    Apesar da criação desta área de proteção, apenas as autoridades australianas podem declarar a região da Grande Barreira de Coral como uma área especial de proteção permanente que exclui o uso de redes de pesca, acrescentou a WWF.

    “Ao comprar licenças, a WWF fez o trabalho pesado. Agora estamos a pedir aos governos australiano e [do estado] de Queensland que criem uma área de gestão especial sobre o extremo norte do recife para proteger permanentemente esta área da pesca comercial”, sublinhou Leck.

    A iniciativa faz parte do plano 'Norte sem Redes', que pretende evitar a captura em redes comerciais de espécies ameaçadas de extinção, como dugongos, tartarugas e golfinhos, além de tubarões-martelo e tubarão-dente-de-lança.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Natureza
  • Ecossistema
  • Austrália
  • Biodiversidade marinha
  • biodiversidade
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
junho 28
Surfrider Foundation Europe promove limpeza da foz do rio Trancão na quinta-feira
junho 28
Campeões do III São Vicente SUP Challenge coroados em Ponta Delgada
junho 28
Teresa Bonvalot fez o pleno de conquistas nos Açores
junho 28
Projeto 'Surf & Rescue' prestes a estrear-se em Viana do Castelo
junho 27
Frederico Morais fala em 'toque especial' na vitória nos Açores
junho 28
António Costa promete 30% das áreas marinhas nacionais classificadas até 2030
junho 28
Heats revelados para a etapa final do Junior Tour