Homepage

  • Yolanda Hopkins: '2021 é um ano para a história'
    15 dezembro 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    ISA/Pablo Franco
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A surfista portuguesa fez o balanço de um ano em que foi quinta classificada na primeira prova olímpica da história e alcançou o vice-campeonato mundial da ISA.
  • Foi no Havai, na última etapa do circuito Challenger Series de 2021, que Yolanda Hopkins deu por terminada a sua presente temporada. O 13º lugar alcançado no Haleiwa Challenger veio a revelar-se insuficiente em termos de apuramento para o Women's World Tour (WWT) de 2022, mas este foi tudo menos um ano frustrante para os lados de Yo. 

    A campanha de 2021 da surfista portuguesa tem como grande 'highlight' a histórica participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio'2020, onde alcançou um extraordinário quinto lugar, numa caminhada em que deixou para trás a então número dois mundial do ranking feminino, a francesa Johanne Defay. Para estar no maior evento desportivo do mundo, a campeã nacional Open de 2019 brilhou no Mundial ISA de El Salvador, prova na qual foi vice-campeã mundial. E mesmo na Challenger Series, a atleta algarvia não conseguiu meter-se no WWT, mas fechou este circuito no top 20 do ranking. Foi 19ª e a melhor lusa ao cabo de quatro provas disputadas. 

    Na hora de fechar o livro de 2021, Yolanda Hopkins fez nas redes sociais uma retrospetiva do que foi esta aventura memorável. "E acabou!!! Tem sido um ano fantástico e não tenho palavras para agradecer a todos que me têm apoiado e continuam a fazê-lo. Ao longo deste ano conheci tantas pessoas fantásticas! Muito obrigada a todos!", começou por dizer a surfista portuguesa.

    No seu entender, este é um "ano para a História, os Jogos da ISA iniciaram a viagem para a experiência da minha vida, os Jogos Olímpicos". Yolanda assegura que  "recordará para sempre estes grandes momentos em Portugal e por todo o mundo a competir", mas não deixa de sublinhar que "obviamente queria mais", pois assim é a sua natureza. "Quero sempre mais, por isso não há tempo a perder!" 

    Por último, fica a palavra de agradecimento à escola Pig Dog Surf Camp, que apelida de "família". Sem o seu apoio, Yolanda Hopkins entende que o surf na sua vida "já seria uma coisa do passado", uma vez que teria "desistido" de prosseguir a carreira de surfista profissional.

    "Um gigante "shout out" para a minha família Pig Dog Surf Camp. Sem eles nada disto seria possível. Se não fossem eles, acho que o surf já seria uma coisa do meu passado! Já tinha desistido! Não tenho palavras para agradecer tudo o que têm feito por mim. Têm sido tantos os altos e baixos. Sei que com o melhor treinador do mundo, o Tour vai ser uma realidade. Não foi este ano, é no próximo!"

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • Surf
  • Competição
  • mar
  • Yolanda Hopkins
  • Portugal
  • Fotografia
    ISA/Pablo Franco
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
dezembro 03
FPS agradece todo o 'trabalho' e 'dedicação' de Teresa Bonvalot
dezembro 02
Primeiro fim de semana de dezembro vai ser frio, cinzento e chuvoso
dezembro 02
Grupos central e oriental dos Açores com aviso amarelo devido ao mau tempo e mar agitado
dezembro 02
Seleção Nacional de Surf Adaptado já partiu para o Mundial ISA 2022
dezembro 02
Ericeira Surf Clube participa em projeto que promove a sustentabilidade ambiental e não só
novembro 30
Chuva não fica para o feriado: sol vai brilhar
novembro 29
Governo australiano é contra a inclusão da Grande Barreira de Coral na lista de Património Mundial em perigo