Homepage

  • Os momentos do ano: Vasco Ribeiro campeão europeu 2021 da WSL e a inédita final portuguesa na Caparica
    16 dezembro 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    WSL/Pedro Mestre
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Portugal esteve em grande destaque no QS regional europeu de 2021.
  • Em março de 2020, aquando da abrupta interrupção dos campeonatos internacionais de surf por causa da escalada de infeções com o novo coronavírus, Vasco Ribeiro estava a dar muito boa conta de si no antigo circuito World Qualifying Series (WQS). Um arranque auspicioso deixou no ar a ideia de que aquele poderia ser o ano de Vasco em termos de alcançar o sonho de uma vida: a tão desejada qualificação para o Championship Tour (CT).

    Depois, como todos sabemos meteu-se a pandemia, mas ainda assim Vasco Ribeiro teve a oportunidade de manter a forma em competição durante o ano. Seja através da Liga MEO Surf ou dos eventos especiais realizados pela World Surf League (WSL) na Europa.

    Não foi por isso de estranhar que o surfista da Praia da Poça tenha entrado de faca nos dentes neste ano de 2021. Era um homem numa missão, atingir o CT. Para tal, havia primeiro que ultrapassar o QS regional europeu. E aí, Vasco aproveitou ao máximo o fator casa e mostrou toda a qualidade do seu surf nos eventos de Santa Cruz e Caparica, que marcaram o regresso dos campeonatos deste circuito ao Velho Continente.

    Foi uma primavera de sonho aquela que o surfista de 27 anos teve por estes bandas. Nas ondas de Santa Cruz, Vasco Ribeiro conquistou o primeiro evento QS da carreira. Embalado por este inédito e histórico triunfo, poucos dias depois sagrou-se campeão europeu de 2021 da WSL.

    A coroação aconteceu na Costa de Caparica. Desta feita, não venceu a prova em questão, mas os principais objetivos já haviam sido atingidos. O título continental e acima de tudo o apuramento para o circuito Challenger Series de 2021, onde iria lutar pela qualificação para o CT do próximo ano.

    Precisamente, também durante esses dias na Caparica, o surf feminino português viveu um momento inédito e de plena afirmação de toda a sua valia e evolução. No Caparica Surf Fest, tivemos pela primeira vez uma final 100% lusa nas provas da WSL.

    Cortesia dos soberbos desempenhos de Teresa Bonvalot e Mafalda Lopes, curiosamente as duas surfistas portuguesas que sagraram-se campeãs europeias juniores da WSL no passado. No heat de todas as decisões, Teresa fez valer a sua maior experiência e superiorizou-se a Mafalda com uma exibição portentosa, chegando assim à sua primeira vitória num evento QS, a terceira da história do surf feminino português  

    Este foi o arranque de um ano que viria ser a inesquecível para Teresa, bem como para o surf feminino nacional, tendo novos episódios poucos dias depois deste momento inesquecível na Caparica e que tão importante foi para moralizar Bonvalot. 

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Surf
  • Competição
  • WSL
  • World Surf League
  • Santa Cruz Pro
  • Caparica Surf Fest
  • Vasco Ribeiro
  • Mafalda Lopes
  • Teresa Bonvalot
  • Portugal
  • Fotografia
    WSL/Pedro Mestre
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
maio 20
3ª edição do projeto 'Surf & Rescue' começou com visita inédita a Sesimbra
maio 20
Começa em junho o 2º curso de Nadador-Salvador Profissional para estudantes do concelho de Faro
maio 20
Nuvem de poeira com 'valores muito altos' na atmosfera atinge a Península Ibérica no fim de semana
maio 19
Vamos todos ajudar o Zion Brocchi!
maio 19
Campanhas de Arte Xávega autuadas na Praia da Vieira de Leiria
maio 19
Anémonas verdes têm vindo a dar à costa na Praia de Carcavelos
maio 19
Fim de semana chega com temperaturas de 38ºC e o regresso das poeiras do Norte de África