Homepage

  • Coroados os históricos campeões do Pro Surf São Tomé
    06 setembro 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Riemkje Portinga/Pro Surf São Tomé
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • O Pro Surf São Tomé também contou com inclusão feminina. Anteriormente, nunca havia sido realizada uma prova de surf feminina na ilha localizada em pleno Oceano Atlântico.
  • Terminou no passado sábado o histórico Pro Surf São Tomé, aquele que foi o primeiro Circuito Nacional de Surf de São Tomé e Príncipe a ir para a água. Durante três dias consecutivos, esta competição passou por três praias diferentes, sendo que os vencedores foram consagrados em plena praça da Baía de Santana.

    A competição, que permitiu aos surfistas são tomenses mostraram a valia do seu surf para todo o mundo, fechou com um novo momento inédito, pois pela primeira vez realizou-se uma prova de surf feminina naquele país lusófono.

    Nove jovens surfistas, inseridas na categoria de iniciadas, viveram na Praia das 7 Ondas o seu primeiro momento competitivo. A prova contou com uma pequena diferença de pontuação entre as finalistas. Todas as surfistas que competiram na Praia das 7 Ondas mostraram a evolução que o seu nível de surf tem vindo a ter e no qual tem sido decisiva a contribuição do projeto SOMA (Surfistas Orgulhosas na Mulher d’África), que visa, através do surf, empoderar as mulheres e combater a desigualdade de género, bem como a gravidez precoce em países africanos. Parte dos resultados da operação do campeonato reverterão a favor desta organização não-governamental. 

    Em termos competitivos, o triunfo acabou por pender para o lado de Marilu Govares, que subiu ao lugar mais alto do pódio e recebeu uma prancha a estrear oferecida pela Xhapeland. No segundo posto ficou Adrielle Santos, que recebeu um telemóvel CST, enquanto Fátima Aimy completou o pódio, tendo recebido uma t-shirt oferecida pela Billabong e um colar Glassy Jewelry. Sabrina Carvalho foi quarta classificada. 

    Quanto ao setor masculino, que teve duas etapas (Santana e Água Izé), teve como líder do ranking e consequente campeão nacional, Roly Félix, surfista que não deu hipóteses à concorrência ao vencer as duas etapas disputadas. Tal como Marilu Govares, Roly recebeu uma prancha a estrear, também oferecida pela Xhapeland.

    Já o segundo classificado Zézito Fernandes foi premiado com telemóvel oferecido pela CST ao passo que Kedson Fernandes, terceiro classificado, recebeu uma t-shirt da Billabong. Cadid Fonseca quedou-se pelo quarto posto.

    O Pro Surf São Tomé'2021 surgiu no âmbito do Start Zero Zero, um projeto desenvolvido por três mulheres: Veridiana Bressane, Maria Magalhães e Francisca Sequeira. O Start Zero Zero visa o desenvolvimento de oportunidades económicas, sociais e ambientais na Comunidade de Países de Língua Portuguesa, unindo estes países através da organização de campeonatos de surf.

     

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Surf
  • são tomé e príncipe
  • Pro Surf São Tomé 2021
  • Portugal
  • Competição
  • SOMA
  • Star Zero Zero
  • Fotografia
    Riemkje Portinga/Pro Surf São Tomé
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
novembro 29
Dapin homenageado quarta-feira em Carcavelos
novembro 29
João Aranha: 'Dapin será sempre uma referência fundamental no surf nacional'
novembro 29
Surf português chora perda de 'Dapin'
novembro 29
Nasce na Madeira a maior área marinha da Europa com proteção total
novembro 26
Último fim de semana de novembro vai ter um pouco de tudo: frio, sol, nuvens, vento e aguaceiros
novembro 26
Já há nova data para a etapa inaugural do circuito Billabong Ericeira 2021 para as categorias Open, Masters e Feminino
novembro 26
Ítalo quer competir até aos 38 anos: 'Vou durar bastante tempo'