Homepage

  • Ítalo Ferreira alcançou triplete inédito na história do surf de competição
    02 agosto 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    ISA/Sean Evans/Ben Reed
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • No futuro próximo, apenas Carissa Moore pode igualar o feito do surfista brasileiro.
  • Faz esta madrugada uma semana que Ítalo Ferreira e Carissa Moore tornaram-se em Tsurigasaki Beach nos primeiros campeões olímpicos da história do surf, fruto naturalmente da estreia desta modalidade no programa do maior evento desportivo do mundo.

    No entanto, no caso de Ítalo Ferreira a dimensão histórica do feito alcançado nos Jogos Olímpicos de Tóquio'2020 não fica por aqui. Isto porque o natural da Baía Formosa tornou-se no primeiro surfista de sempre a alcançar um inédito triplete na história do surf de competição.

    Ítalo tem no seu invejável palmarés nada mais, nada menos do que os títulos mundiais da World Surf League (WSL), Associação Internacional de Surf (ISA) e agora a medalha de ouro olímpica. E tudo foi alcançado em pouco mais de um ano e meio.

    Uma história de sonho que começou e terminou no Japão. Para além da glória olímpica em Tsurigasaki Beach, há praticamente dois anos o surfista brasileiro arrecadou o Mundial ISA de Miyazaki. Estava dado o mote. Pelo meio, em dezembro de 2019, chegou pela primeira vez ao título da WSL com a histórica vitória na finalíssima do Pipe Masters diante de Gabriel Medina. À época foi também a sua primeira vitória na emblemática etapa havaiana.

    Nos dias de hoje, não detém todos estes títulos em simultâneo, Joan Duru é o atual campeão mundial da ISA, mas estas são conquistas que deixam o surfista de 27 anos com um lugar muito especial nos livros de ouro da modalidade. Aos 27 anos, bem se pode dizer que em termos de títulos individuais o atleta brasileiro já venceu o que de mais valioso há para quem faz disto vida profissional.

    Ítalo Ferreira está sozinho neste prestigiado quadro de honra e no futuro próximo, leia-se até aos Jogos Olímpicos de Paris'2024, apenas um nome poderá vir a sentar-se à mesma mesa do sul-americano. Falamos naturalmente de Carissa Moore, vencedora da prova olímpica de surf feminina. Carissa pode igualar o feito de Ítalo caso venha a participar e saia vencedora do Mundial ISA de 2023, que irá realizar-se em El Salvador à semelhança do que aconteceu na última edição.

    Ainda voltando a Ítalo, esta coletânea de conquistas poderia também contar com o título mundial Júnior da WSL. No entanto, aí foi suplantado por Vasco Ribeiro na final de 2014 que decorreu em Ribeira d'Ilhas, na Ericeira. Curiosamente uma praia que não tem trazido grandes recordações ao surfista brasileiro, mas isso são contas de outro rosário.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Surf
  • Competição
  • WSL
  • World Surf League
  • ISA
  • Jogos Olímpicos
  • Jogos Olímpicos de Tóquio
  • International Surfing Association
  • Fotografia
    ISA/Sean Evans/Ben Reed
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
maio 23
Está a chegar o Boogie Chicks'22 e com recorde mundial na mira
maio 23
Santa Cruz Kids 2022 fechou o Circuito Regional de Surf do Centro
maio 23
Ação de limpeza recolhe mais de 330 quilos de lixo na Praia da Vieira
maio 23
Cientistas de universidades portuguesas descobrem cinco novas espécies de animais marinhos
maio 23
Estudo diz que os golfinhos esfregam-se nos corais para cuidar da pele
maio 23
Circuito Nacional de SUP Race 2022 a caminho de Peniche
maio 23
Teresa Padrela segue para a ronda 3 em Antofagasta