Homepage

  • Conner Coffin insurge-se contra artigo de revista de surf
    16 agosto 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Coffn vai ser um dos finalistas em Trestles, onde promete calar as críticas...
  • Num momento de coragem e raramente visto, Conner Coffin utilizou as redes sociais para vir a público insurgir-se contra um artigo da revista australiana Stab, uma das mais famosas do meio. O artigo em causa servia de crítica ao facto de o surfista californiano ser um dos cinco finalistas que vão discutir o título mundial em Trestles. Contudo, pelo meio, continha uma referência considerada xenófoba.

    Além de escrever que ao qualificar-se para Trestles, Coffin “espetou a sua guitarra pela cabeça de Griffin Colapinto abaixo, impendido este de ser campeão mundial em casa”, numa observação de clara ironia, o autor do texto ainda utilizou um comentário de terceiro colocado numa rede social para analisar o momento. “Conner vencer em Trestles é como um branco afundar na NBA”.

    Ora, além da xenofobia presente nesse comentário, também não há muita verdade, pois há muitos anos que qualquer tipo de qualquer raça ou religião consegue afundar na NBA. Conner não perdeu a oportunidade de se defender, deixando uma mensagem de coragem para todos os que são visados de alguma forma por este tipo de comentários e críticas.

    Sendo um dos surfistas mais inteligentes do Tour, ele que completou o ensino universitário enquanto surfistas profissional, utilizando o método à distância, Coffin abriu logo com duas alfinetadas ao autor e também à revista. Em primeiro lugar agradeceu à Stab o seu jornalismo “premium”, numa clara alusão ao facto de recentemente a revista australiana ter fechado vários artigos, exclusivos apenas para assinantes premium, ou seja, têm que ser pagos para serem lidos. Depois, ainda pediu ao autor que pelo menos escrevesse bem o seu nome, depois de este ter escrito inúmeras vezes “Connor” – o nome correto é Conner.

    “Isto deixou-me passado durante alguns minutos, mas depois lembrei-me de todas as vezes que as pessoas duvidaram de mim, que disseram que eu não era bom o suficiente e que disseram que eu não conseguia fazer, quando passei toda a minha vida a canalizar esforços, paixão e trabalho árduo para alcançar os meus objetivos. Ao postar isto, espero encorajar todos a transformarem todo o negativismo e críticas em algo positivo. E não deixem ninguém atirar-vos abaixo e que isso vos impeça de alcançarem os objetivos”, atirou Coffin.

    O surfista californiano deixou ainda palavras para o compatriota Griffin Colapinto, que acabou por perder a vaga nas finais. “Conheço o Griffin desde que era uma criança e fico feliz sempre que vejo pessoas a darem-se bem na vida”, rematou. Uma intervenção que mereceu os aplausos da maioria dos seus companheiros do CT.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Conner Coffin
  • WCT
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
maio 19
Vamos todos ajudar o Zion Brocchi!
maio 19
Anémonas verdes têm vindo a dar à costa na Praia de Carcavelos
maio 19
Fim de semana chega com temperaturas de 38ºC e o regresso das poeiras do Norte de África
maio 19
Descobertas duas espécies de golfinhos com 20 milhões de anos na Suíça
maio 19
Bloco rochoso na Praia das Avencas vai ser demolido
maio 19
Títulos do Circuito Regional de Surf do Centro decidem-se em Santa Cruz
maio 19
Viana do Castelo recebeu parceiros de projeto inovador sobre o ensino de surf adaptado