Homepage

  • Yolanda Hopkins: 'Espero que este desempenho nas Olimpíadas ajude-me a ter mais oportunidades'
    27 julho 2021
    arrow
    arrow
  • A surfista portuguesa quer no futuro atingir a qualificação para o WWT, mas também já pisca o olho aos Jogos Olímpicos de Paris'2024.
  • Yolanda Hopkins encerrou a sua participação na prova olímpica de surf em Tóquio'2020. A surfista portuguesa foi eliminada nos quartos-de-final do evento nipónico após derrota diante da sul-africana Bianca Buitendag. 

    Para a história desta participação de Yolanda fica um extraordinário quinto lugar ao qual juntou um diploma olímpico, nesta que foi a sua estreia no maior evento desportivo do mundo, bem como do desporto que pratica desde sempre, o surf.

    "Estava um bocadinho difícil lá dentro, com a maré a vazar. As ondas formavam e rebentavam logo. A Bianca apanhou uma que levantou um bocado de parede e deu-lhe a oportunidade para fazer mais do que uma manobra, que foi o que me faltou”, referiu a campeã nacional de surf de 2019 à agência noticiosa Lusa.

    Com o resultado alcançado nas águas do Pacífico, a vice-campeã mundial ISA de 2021 espera que este resultado abra mais portas, nomeadamente ao nível dos apoios, para assim continuar a sua caminhada no mundo do surf, onde o grande objetivo é chegar um dia à elite do surf mundial, o Women's World Tour (WWT). 

    “Se alguma vez parasse de surfar, era por falta de dinheiro. Espero que depois de representar Portugal desta forma possa vir a ter mais oportunidades de me realizar, fazer o que gosto e ter apoio certo atrás de mim”, afirmou a atleta portuguesa. Em termos de verbas, esta considera que 50 mil euros são o suficiente para fazer o "mínimo dos mínimos” no circuito mundial.

    Nesta hora de sucesso, a surfista algarvia não esquece todo o seu trajeto, que já ficou marcado por momentos bem duros. “Tive muitas dificuldades na minha vida, o meu treinador (John Tranter) ajudou-me muito. Vivo em casa dele. Viu o meu potencial. É como a minha família. Tive muitas dificuldades, alturas em que até foi complicado arranjar dinheiro para comer”, recordou.

    Para o futuro, o foco é atingir o tão desejado WWT, mas Yolanda Hopkins já pisca o olho aos Jogos Olímpicos de Tóquio'2020, onde as senhoras à semelhança do que já vai acontecer este ano no Mundial terão a oportunidade de competir na pesada e tubular onda de Teahupo'o, no Taiti.

    “Quero qualificar-me para esses Jogos. Estou muito entusiasmada para isso e vou treinar. Quero levar a minha melhor 'performance' para lá”, concluiu.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Jogos Olímpicos de Tóquio
  • Jogos Olímpicos
  • Portugal
  • Yolanda Hopkins
  • Tóquio'2020
  • Competição
  • Surf
  • FPS
  • Federação Portuguesa de Surf
  • Seleção Nacional
  • Fotografia
    ISA
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
setembro 28
Kelly Slater salvou estrela de cinema em torneio de golfe
setembro 27
David Raimundo e a aventura de Vasco em Huntington Beach: 'Queríamos mais'
setembro 27
Praia da Aguçadoura coroou os campeões nacionais de bodyboard esperanças competição de 2021
setembro 27
10 anos depois, o Circuito Nacional de Bodyboard está a caminho dos Açores
setembro 27
Ericeira WSR+10 promove curso sobre surfing e sustentabilidade
setembro 24
Nunca houve tantas mulheres no circuito nacional como em 2021!
setembro 24
Frontón vai coroar o novo campeão do mundo júnior de bodyboard