Homepage

  • Criadas plataformas portáteis que detetam contaminantes na água e em peixes
    16 julho 2021
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Um projeto que 'representa elevados benefícios socioconómicos e ambientais', diz a principal investigadora do projeto.
  • Investigadores do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) anunciaram esta sexta-feira, dia 16 de julho, que desenvolveram plataformas portáteis de sensores e biossensores que permitem detetar contaminantes emergentes como antibióticos, hormonas, antidepressivos ou anti-inflamatórios na água e em peixes.

    Em comunicado, o ISEP afirma que as plataformas portáteis de sensores e biossensores para quantificar ‘in loco’ e a baixo custo os contaminantes emergentes em produtos de pesca e águas estão a ser desenvolvidas pelos investigadores no âmbito do projeto CECs (Bio)Sensing, que arrancou em julho de 2018 e deverá estar concluído em julho do próximo ano.

    “Sendo Portugal um dos países da União Europeia que apresenta um consumo mais elevado de peixe, é premente controlar a qualidade e segurança dos produtos de pesca, em especial das espécies mais apreciadas no nosso país, como a sardinha, cavala e salmão”, refere o ISEP, lembrando que a bioacumulação de contaminantes por organismos aquáticos é cada vez mais “uma ameaça à saúde pública”.

    “Os vulgares medicamentos que utilizamos no nosso dia-a-dia e que são excretados através da urina, acabam a contaminar rios e mares, sem que haja metodologias de controlo nem tecnologias de eliminação desses compostos”, afirma o instituto.

    Citada no comunicado, Simone Morais, a principal investigadora do projeto, salienta que atualmente “não existem métodos de análises de rotina para grande parte dos compostos”, uma vez que as metodologias são “muito caras e dispendiosas”.

    “Este projeto representa elevados benefícios socioeconómicos e ambientais. Os resultados rápidos e confiáveis, provenientes das plataformas, fundamentam decisões-chave no que concerne à gestão de produtos de peixe, resultando em processos produtivos mais verdes e eficientes”, assegura a investigadora.

    A par da deteção de contaminantes emergentes, o projeto pode potenciar “grandes poupanças”, uma vez que permite avaliar a qualidade do produto e decidir se se avança, ou não, com a comercialização.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • mar
  • Oceano
  • Natureza
  • Ecossistema
  • Meio Ambiente
  • Investigação
  • Peixes
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
junho 30
Maya Gabeira é Campeã para o Oceano e a Juventude da UNESCO
junho 30
Projeto 'ReDuna' está em ação na Praia de São João da Caparica
junho 30
Yolanda Hopkins anuncia dois novos patrocinadores num curto espaço de tempo
junho 30
Rock in Rio 2022 gerou mais de 150 kg de borras de café Buondi para aplicar no Parque da Bela Vista
junho 30
Revelados os competidores do Softboard Heroes 2022
junho 29
Núria Maganinho associa-se à 58 Surf
junho 29
Título nacional vai ser discutido por 12 surfistas!