Homepage

  • Colónia de flamingos nidificou pela primeira vez em Portugal
    06 julho 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    ICNF/Agostinho Gomes
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A nidificação aconteceu numa das salinas da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.
  • Uma colónia de flamingos nidificou pela primeira vez com sucesso no Algarve, com 550 animais a nascerem de 880 ninhos construídos, anunciou na passada segunda-feira o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

    O nascimento destes juvenis numa colónia de cerca de 3000 flamingos (Phoenicopterus roseus) numa das salinas da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António comprova pela primeira vez a nidificação com sucesso desta espécie em Portugal.

    Segundo a nota do ICNF, esta nidificação e o seu resultado positivo “poderão ser confirmados no próximo ano e tornar-se uma situação recorrente, o que representaria uma importante adaptação da espécie a diferentes condições das que sempre tem tido nos locais habituais, possibilitando desse modo a diversificação dos locais de nidificação e a manutenção da população da espécie na área geográfica do Mediterrâneo”.

    O ICNF adiantou ainda que na Reserva Natural do Estuário do Sado e na Reserva Natural do Estuário do Tejo ocorreu, em simultâneo, a construção de “cerca de meia centena de ninhos em cada uma delas”. Contudo, quer devido a “alteração das condições físicas ocorrida nos locais, quer por se tratar de um número muito reduzido de casais, a nidificação não foi concluída” tendo ocorrido nestes dois últimos casos “abandono dos locais”.

    A construção de ninhos por flamingos em Portugal já era conhecida desde finais dos anos 90, nas principais áreas protegidas em zonas húmidas, nomeadamente na Reserva Natural do Estuário do Tejo, Reserva Natural do Estuário do Sado e na Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, no entanto, a sua construção não significa só por si a confirmação de nidificação, uma vez que “nunca foram observados juvenis nascidos naqueles locais”, adiantou o ICNF.

    Apesar de ser uma ave comum no inverno nas zonas húmidas litorais desde o estuário do Tejo até ao Algarve, só tinham sido registadas tentativas de nidificação em 2010 e, antes disso, na década de 80, ambas na região algarvia. Todas sem sucesso.

    Segundo o ICNF, nos últimos anos a população de flamingos tem vindo a aumentar no país, mesmo em zonas húmidas onde antes era pouco observada, no entanto, a espécie continuava sem nidificar em Portugal, por razões científicas desconhecidas.

    A diminuição da atividade humana devida às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus aliada ao aumento das áreas de alimentação e repouso da espécie em Portugal - constatada por vigilantes da natureza e técnicos do Centro de Estudos de Migrações e Protecção de Aves do ICNF -, podem ter contribuído para facilitar a sua reprodução.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • flamingo
  • Algarve
  • Portugal
  • Natureza
  • Meio Ambiente
  • Ecossistema
  • biodiversidade
  • Fotografia
    ICNF/Agostinho Gomes
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
outubro 18
Praia da Arriba coroou os campeões nacionais de skimboard de 2021
outubro 18
Há mais de 3 mil toneladas de plástico a flutuar no Mar Mediterrâneo
outubro 18
Os números do evento principal do Ericeira WSR+10
outubro 18
Bodyboarders profissionais homenagearam o malogrado Tom Morey
outubro 15
Nasceu a Matosinhos Surf School Cup: a nova competição para as escolas de surf do concelho
outubro 15
Fim de semana chega com tempo mais cinzento e regresso da chuva nas regiões Norte e Centro
outubro 15
Nuno Vitorino recebe prémio do Comité Paralímpico de Portugal