Homepage

  • Adriano de Souza: “Kelly Slater ajudou-me a conquistar tudo o que conquistei”
    20 julho 2021
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Mineiro deixa a promessa que pode estar na sua volta de despedida do Tour, mas ainda quer deixar uma marca.
  • Adriano de Souza vive por esta altura os últimos momentos como competidor do CT, depois de uma carreira recheada de êxitos, mas também muita luta, que conta como ponto alto o título mundial de 2015. A duas etapas do final da temporada, Mineiro falou com a Red Bull sobre a experiência que está a ter em 2021 e destacou os pontos altos do ano, além de enumerar as coisas que mais vai sentir falta ao estar entre a elite mundial.

    “O que vou sentir mais saudades, com certeza, são as pessoas que conheci ao longo dos anos na trajetória. Cada lugar tem uma pessoa especial, todas as vezes que retorno, fala com a pessoa, fico junto, e isso é demais. São pessoas bacanas. Isso, sem dúvida, é o que mais vou sentir saudade”, começou por dizer Adriano de Souza.

    Entre os adversários Kelly Slater sempre desempenhou um papel de grande rival do surfista brasileiro, mas Adriano revela que, mais do que adversário, olha para o 11 vezes campeão mundial como uma inspiração. E por isso mesmo era dele que mais desejo tinha de se despedir. Algo que aconteceu de forma simbólica na etapa do Surf Ranch.

    “Queria muito despedir-me do Kelly. Ele não foi para a Austrália, mas a gente se encontrou no Surf Ranch. Ele era uma pessoa que eu queria muito ver e retribuir todo o carinho. Porque, de certa forma, ele me ajudou a conquistar tudo que eu conquistei com os exemplos que deu dentro e fora de água. Foi um cara que me mostrou um caminho a trilhar. E foi muito bom ver ele voltar a surfar, a competir. Aos quase 50 anos, o Kelly continua entre os melhores do mundo e, por isso, continua sendo um exemplo para mim”, sublinhou.

    Foi nessa mesma etapa que os surfistas do CT se uniram para homenagear Adriano de Souza. Um momento que Mineiro promete não esquecer. “A etapa do Surf Ranch foi muito especial, foi o ponto alto do ano. Todos a usarem licras com o meu nome… foi uma homenagem e demonstração de respeito. Vou guardar isso para sempre. Com certeza, isso foi mais importante do que muitas coisas que fiz no circuito. E não foram só brasileiros, estrangeiros também vieram falar comigo e demonstraram o mesmo respeito”, salientou Adriano de Souza.

    Por fim, deixa a promessa que pode estar na sua volta de despedida do Tour, mas ainda quer deixar uma marca. “Continuo a treinar forte. É a última temporada da minha vida, então estou dando tudo de mim. Quero ir bem e sair por cima, esse é o meu grande objetivo desse ano. A decisão de parar já está na minha cabeça há algum tempo. Então, a única coisa que preciso executar é ir super bem esse ano. Ainda tem mais duas etapas, quero ir muito bem nelas e fechar o ano com chave de ouro”, rematou.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Adriano de Souza
  • WCT
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
julho 31
Porque motivo este verão está a ser tão ventoso? Pedro 'Pecas' explica
julho 28
Em Tóquio'2020, regressou o bom e velho Owen Wright: 'Muitos pensavam que não ia chegar às medalhas'
julho 28
Japão foi o país mais medalhado na prova olímpica de surf
julho 30
Projeto Ericeira WSR+10 discutiu o Turismo de Surf em nova conferência
julho 30
David Raimundo: “2021 foi o ano que mais me marcou”
julho 29
Yolanda Hopkins: “Se alguém me apoiar a sério, não vou desiludir”
julho 29
Frederico Morais já regressou aos treinos no mar