Homepage

  • Biodiversidade do Mar Mediterrâneo sofreu 'colapso' nos últimos 30 anos
    08 junho 2021
    arrow
    arrow
  • De todas as espécies identificadas pelo estudo, os peixes são os mais afetados.
  • Através do relatório 'Mediterrâneo Vivo', divulgado ontem, um grupo de cientistas franceses alerta para o facto do Mar Mediterrâneo ter sofrido em 30 anos um "colapso" da biodiversidade, que assim encontra-se gravemente ameaçada.

    O documento tem por base investigações aprofundadas sobre estudos publicados ao longo dos últimos 30 anos, reunindo a monitorização de mais de 80 mil populações de animais nesta região do globo, onde as "alterações climáticas são mais rápidas e o impacto da atividade humana mais forte do que noutro lugar".

    O relatório produzido é fruto do trabalho da 'Tour du Valat', instituto de investigação para a conservação das zonas húmidas mediterrânicas, situado no sul de França.

    O grupo de investigadores constatou que as populações de vertebrados da bacia do Mediterrâneo diminuíram 20% entre 1993 e 2016, quebra que atingiu 52% nos ecossistemas marinhos e 28% nos ecossistemas de água doce (zonas húmidas e rios).

    De todas as espécies identificadas pelo estudo, os peixes são os mais afetados. O atum-rabilho (Thunnus thynnus) viu a sua população adulta baixar 90%. "A maioria das espécies é duramente atingida pelas alterações climáticas e pela atividade humana, cujo impacto deve aumentar ao longo das próximas décadas", disse Thomas Galewski, coordenador do estudo, citado por agências internacionais.

    Os investigadores constataram também o impacto "encorajador" de várias ações de conservação, como a fiscalização da caça e da pesca, a proteção dos habitats das espécies mais raras, o controlo das fontes de poluição ou mesmo o reforço de efetivos para reintroduções. Algumas espécies como o íbex dos Alpes, o abutre europeu, o pelicano-dálmata e a tartaruga-comum (Caretta caretta) foram salvas por estas medidas.

    Porém, os cientistas notaram que há espaço de progressão entre os esforços de conservação e a natureza, pelo que exigiram uma melhor colaboração de todos os países, deplorando a falta de dados sobre algumas espécies, porque a "maior parte das informações registadas vem e países do Norte do Mediterrâneo".

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • mar
  • Mar Mediterrâneo
  • Biodiversidade marinha
  • biodiversidade
  • Investigação
  • Relatório
  • Estudo
  • Ecossistema
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
dezembro 03
FPS agradece todo o 'trabalho' e 'dedicação' de Teresa Bonvalot
dezembro 02
Primeiro fim de semana de dezembro vai ser frio, cinzento e chuvoso
dezembro 02
Grupos central e oriental dos Açores com aviso amarelo devido ao mau tempo e mar agitado
dezembro 02
Seleção Nacional de Surf Adaptado já partiu para o Mundial ISA 2022
dezembro 02
Ericeira Surf Clube participa em projeto que promove a sustentabilidade ambiental e não só
novembro 30
Chuva não fica para o feriado: sol vai brilhar
novembro 29
Governo australiano é contra a inclusão da Grande Barreira de Coral na lista de Património Mundial em perigo