Homepage

  • Temperatura no Ártico aquece a ritmo três vezes superior ao resto do planeta
    20 maio 2021
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A diminuição do gelo abre oportunidades económicas que os ambientalistas temem.
  • A conclusão é de um relatório científico divulgado esta quinta-feira. A temperatura no Ártico está a aumentar três vezes mais depressa do que no resto do planeta Terra e a tendência deverá manter-se.

    A hipótese da camada de gelo marinho derreter completamente no verão antes de se restabelecer no inverno será seis vezes mais provável se a temperatura da terra aumentar dois graus centígrados em vez de 1,5ºC até ao final do século, como estabelecido no Acordo de Paris, refere-se ainda no relatório do Programa de Vigilância e Avaliação do Ártico.

    O documento foi revelado nesta quinta-feira na capital da Islândia, Reiquejavique, numa reunião ministerial do Conselho do Ártico (em que estão representados os países com território na região).

    “O Ártico é realmente um ponto quente do aquecimento global”, afirmou o glaciólogo Jason Box, do Serviço Geológico da Dinamarca e Gronelândia, registando-se ali 3,1 graus centígrados de aumento da temperatura média anual entre 1971 e 2009, quando no planeta esse aumento foi de 1ºC. Em 2019, a versão anterior do relatório indicava que o aumento da temperatura no Ártico estava em mais do dobro da média mundial.

    De acordo com os investigadores que contribuíram para o relatório, houve um ponto de viragem em 2004 que continua por explicar, em que a temperatura em torno do Círculo Polar Ártico começou a aumentar a um ritmo 30 por cento superior.

    Segundo projeções no relatório, as temperaturas médias no Ártico poderão até ao fim do século aumentar entre 3,3 e 10 graus em relação à média do período entre 1985 e 2014. Tudo está dependente da evolução das emissões de gases com efeito de estufa. M

    Mesmo sem saber como evoluirão, estas alterações têm consequências que já se fazem sentir nos ecossistemas, com modificações dos habitats, dos hábitos alimentares e das interações entre espécies e suas migrações.

    A diminuição do gelo abre oportunidades económicas que os ambientalistas temem, como novas zonas de pesca, novas rotas marítimas comerciais e acesso facilitado a reservas de petróleo, gás natural e minerais.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Ártico
  • Ecossistema
  • Natureza
  • Meio Ambiente
  • Temperatura
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
janeiro 31
Luke Shepardson, o vencedor improvável do Eddie Aikau que passou a ter um dia no Havai com o seu nome
janeiro 31
Surf adaptado mantem bem vivo o sonho da inclusão nos Jogos Paralímpicos de Los Angeles 2028
janeiro 31
Ondas da Praia da Vigia consagraram campeões do Circuito Sealand Santa Cruz 2022
janeiro 30
Validade da certificação dos nadadores-salvadores prorrogada até ao final de 2023
janeiro 30
Conhecido calendário dos circuitos regionais de bodyboard para 2023
janeiro 30
FPS vai realizar dois cursos online de juízes de surf em fevereiro
janeiro 30
Frio não desarma e deixa todo o território continental em aviso amarelo