Homepage

  • Governo recebe proposta para criação de Parque Marinho no Algarve
    07 maio 2021
    arrow
    arrow
  • A intenção é salvaguardar uma zona conhecida como a Pedra do Valado, que representa o maior recife rochoso costeiro de Portugal.
  • A proposta final para a criação de um Parque Marinho no Algarve foi esta sexta-feira entregue, na Universidade do Algarve, aos ministros do Ambiente e do Mar pela Fundação Oceano Azul (FOA) e pelo Centro de Ciências do Mar (CCMAR-UAlg).

    O projeto do Parque Natural Marinho do Recife do Algarve - Pedra do Valado (PNMRA) foi elaborado ao longo dos últimos três anos por 70 entidades e prevê a criação de uma comissão de cogestão com entidades centrais e locais, num modelo de administração de proximidade.

    A expectativa em relação à reação do Governo é "muito grande", assume o diretor executivo da FOA Emanuel Gonçalves, já que "nunca houve um processo feito desta forma, de baixo para cima".

    A intenção é salvaguardar uma zona conhecida como a Pedra do Valado, na costa de Albufeira, Lagoa e Silves, que se prolonga por sete milhas náuticas (cerca de 12 quilómetros), constituindo o maior recife rochoso costeiro de Portugal, onde estão identificadas cerca de 800 espécies marinhas.

    O projeto do PNMRA pretende criar uma zona com 156,4 quilómetros quadrados (km2) de área global entre o Farol da Alfanzina (a oeste) e a marina de Albufeira (a este), dividida em várias parcelas onde se inclui uma área de quatro quilómetros quadrados (2,6%) de proteção total onde não serão permitidas quaisquer atividades (extrativas ou não extrativas), nem passagem, prevendo-se apenas permissão para monitorização científica e estudos de avaliação do parque, mediante autori­zação.

    Cerca de 16,5 km2 (10,6%) são reservados a uma área de proteção parcial, onde não são permitidas atividades extrativas (como a pesca comercial e recreativa), mas podem ocorrer atividades não extrativas sustentáveis e devidamente regulamentadas como mergulho, passeios, desportos náuticos não motorizados, navegação ou observação de cetáceos.

    Para uma área de proteção complementar está prevista uma zona de 55,4 km2 (35,4%) a que terão acesso embarcações até nove metros de comprimento, seguindo critérios a definir pela comissão de cogestão, e outra com 80,5 km2 (51,5%) que poderá ser utilizada pelas embarcações costeiras, incluindo da pesca de cerco.

    A aplicação de um regime de cogestão é um dos maiores desafios desta proposta, mas Emanuel Gonçalves, também coordenador científico da FOA, disse que o processo participativo que sustenta a proposta "trouxe já muito desse trabalho conjunto para cima da mesa" e que a gestão de proximidade com objetivos nacionais é o "melhor de dois mundos".

    "Sabemos para onde queremos ir e os objetivos que queremos cumprir na proteção da natureza e gestão dos recursos, mas por outro lado traz-se para essa gestão o conhecimento de quem está na zona", afirmou.

    Para que a concretização no terreno seja mais célere, a proposta inclui um conjunto de estudos que fundamentam as opções a tomar e apontam "caminhos" para a efetivação do Parque Marinho.

    A Universidade do Algarve desenvolveu um estudo dedicado aos "valores naturais", com o levantamento das "riquezas, biológicas, geológicas e oceanográficas" da área e um outro, socioeconómico, com o "ponto de situação" das pescas e das atividades marítimo turísticas.

    Um terceiro estudo, de "dimensão jurídica", foi elaborado pela Universidade Católica, uma vez que sendo este projeto o primeiro do género no país, numa proposta vinda da comunidade e num regime de cogestão, "tornou-se necessário perceber qual o regime jurídico de uma área desta natureza, que inclui um ato de classificação, um programa especial e planos de gestão", adiantou o responsável da FOA.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • praia
  • mar
  • Parque Marinho
  • Algarve
  • Universidade do Algarve
  • Projeto
  • Portugal
  • Natureza
  • Meio Ambiente
  • Ecossistema
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
outubro 26
Maya Gabeira sofre lesão na Praia do Norte
outubro 26
Câmara de Oeiras avança com requalificação da Praia da Torre
outubro 25
Orcas danificam leme de veleiro ao largo de Sines
outubro 26
ICNF deteta 46 infrações em fiscalização de autocaravanismo e campismo selvagem
outubro 26
Adeus bom tempo: outubro vai despedir-se com chuva e descida das temperaturas máximas
outubro 25
Voltou! Ítalo Ferreira esteve a dropar as bombas do Canhão da Nazaré (Vídeo)
outubro 25
Novos campeões nacionais de bodyboard Open vão ser encontrados em Peniche