Homepage

  • Italo Ferreira e a competição virtual entre brasileiros durante a pandemia
    14 outubro 2020
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Com a primeira etapa do WCT 2021 marcada já para dezembro em Pipe, o campeão mundial pretende ir brevemente para o North Shore de Oahu.
  • Italo Ferreira manteve-se muito ativo durante a pausa da competição e no regresso mostrou estar em boa forma, o que foi confirmado pelos triunfos na etapa brasileira das Countdown Series e também na francesa, além de ter sido finalista vencido em Portugal. O campeão mundial garante estar preparado e ansioso por regressar ao WCT e para enfrentar as ondas de Pipe, já em dezembro, salientando o papel da “competição” de vídeos de freesurf que houve durante a pandemia.

    “Tenho postado a maior parte das minhas melhores sessões de freesurf e não costumo guardar quase nada para depois. Principalmente para nós, surfistas brasileiros, é como uma competição. Já que não podemos viajar para competir, então essa é uma forma de ver o que todos estamos a fazer e como podemos melhorar o nosso surf. Seja o Yago Dora, o Gabriel Medina, ou outro qualquer, estou sempre a ver o nível deles, para que possa tentar igualá-los na próxima sessão”, começou por dizer Italo em entrevista à WSL.

    O surfista da Baía Formoso garante que os eventos em que já entrou foram importante para readquirir ritmo e elogia o nível dentro de água. “Tenho tido a preocupação de surfar o máximo possível e poder voltar a competir no Brasil e na Europa foi muito bom para reviver a sensação de disputar baterias e sentir a alegria de vencer novamente. Gosto muito da pressão da competição, para ver como está o meu surf. Senti falta disso. Em todos os eventos havia competidores difíceis do CT e QS, então o nível técnico foi realmente alto e é muito bom voltar a viver essa rotina de competições”, frisou.

    Com a primeira etapa do WCT 2021 marcada já para dezembro em Pipe, o campeão mundial pretende ir brevemente para o North Shore de Oahu, para repetir uma receita de sucesso. “No ano passado, cheguei seis semanas antes do evento e fiquei sempre a surfar em Pipeline, testando as pranchas, conversando com o Jamie O'Brien, com o Shane Dorian e todos os locais. Isso foi especial para mim, porque não era o favorito para ganhar o Pipe Masters, mas aprendi muito com eles e venci o campeonato. Vou tentar fazer o mesmo esse ano”, prometeu.

    “É uma boa hora para fazer alguns treinos lá antes que todos cheguem na ilha. É muito difícil surfar em Pipe quando está lotado, então acho que qualquer oportunidade de surfar lá é ótimo, principalmente com os locais. O objetivo é surfar bastante, divertir-me e estar totalmente pronto para a competição. Na verdade, é um plano muito simples”, concluiu.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • italo ferreira
  • wct
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
maio 24
Sebastian Steudtner bate recorde mundial para a Maior Onda Surfada na Nazaré
maio 23
Está a chegar o Boogie Chicks'22 e com recorde mundial na mira
maio 23
Santa Cruz Kids 2022 fechou o Circuito Regional de Surf do Centro
maio 23
Ação de limpeza recolhe mais de 330 quilos de lixo na Praia da Vieira
maio 23
Cientistas de universidades portuguesas descobrem cinco novas espécies de animais marinhos
maio 23
Estudo diz que os golfinhos esfregam-se nos corais para cuidar da pele
maio 23
Circuito Nacional de SUP Race 2022 a caminho de Peniche