Homepage

  • Encontrei um animal marinho arrojado na praia. O que devo fazer?
    28 outubro 2020
    arrow
    arrow
  • Por vezes, embora a intenção seja a melhor, por falta de conhecimento ao invés de ajudar, podemos estar a fazer pior.
  • Volta e meia somos confrontados com notícias de arrojamentos de animais marinhos nas mais diversas praias da extensa costa portuguesa. Arrojamentos esses que podem acontecer devido a causas naturais, doenças, ferimentos, ação humana, entre outros motivos. 

    Trata-se de uma situação sempre desconfortável e que em determinadas ocasiões culmina na morte dos animais marinhos, sendo estes já encontrados em vários estados de decomposição. Quando estão vivos os animais, como estão fora do seu meio natural, geralmente apresentam elevados níveis de stress. 

    Quem já se deparou com um arrojamento de um animal marinho, certamente que já se questionou sobre o que fazer após encontrar o animal. Por vezes, embora a intenção seja a melhor, por falta de conhecimento ao invés de ajudar, podemos estar a fazer pior.

    Como tal, de seguida passamos a explicar o que fazer quando somos confrontados com baleias, golfinhos, botos ou outro tipos de animais arrojados nas praias. 

    Desde logo, deve-se contactar imediatamente as autoridades competentes. Seja através do número nacional (968 849 101) da Rede de Apoio a Mamíferos Marinhos ou do contacto do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR): 808 200 520.

    Outra possibilidade é a de contactar o Centro de Recuperação de Animais Marinhos mais próximo do local onde foi verificado o arrojamento.

    Segundo o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), neste contacto deve ser transmitido às autoridades:

    - o nome e número de telefone;

    - o local de observação do arrojamento;

    - a condição do animal (está vivo/morto);

    - descrição do animal, nomeadamente ao nível de ferimentos, respiração e comprimento.

    Enquanto se aguarda pela chegada das equipas de socorro, esta poderá indicar alguns procedimentos que podem ser realizados. 

    Caso o animal ainda esteja com vida:

    - Não se deve tocar no animal, pois este pode morder;

    - Evitar fazer barulho;

    - Evitar uma grande concentração de pessoas ao redor do animal;

    - Não amarrar o animal pelas barbatanas;

    - Não tapar os olhos ou o orifício respiratório.

    No caso de ser verificado um arrojamento vivo de um golfinho, o ICNF recomenda que deve-se manter o animal protegido do sol, manter o corpo deste sempre molhado, cobrindo com uma toalha húmida sem tapar o orifício respiratório, e cavar pequenos buracos na areia para manter as barbatanas (peitorais e caudal) na sua posição natural.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Praia
  • Mar
  • Ecossistema
  • Natureza
  • Meio Ambiente
  • Arrojamento
  • animais marinhos
  • Centro de Reabilitação Animais Marinhos
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
julho 28
Seleção Nacional de Surf regressa a casa esta quinta-feira
julho 28
Em Tóquio'2020, regressou o bom e velho Owen Wright: 'Muitos pensavam que não ia chegar às medalhas'
julho 28
Amuro Tsuzuki, um nome destinado a fazer historia pelo Japão
julho 28
Japão foi o país mais medalhado na prova olímpica de surf
julho 27
Que orgulho Yolanda, Teresa e David!
julho 28
Sete pormenores do surf olímpico que não se veem nas provas normais
julho 28
Blanco e Pyrrait em destaque na finalíssima das Surf Web Series