Homepage

  • Verão de 2020 deixará 'ferida profunda' nas áreas da Terra cobertas por gelo
    01 setembro 2020
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A onda de calor vivida no Ártico consolidou o facto de as temperaturas nessa zona estarem a subir duas vezes mais depressa em relação à média global
  • A agência meteorológica da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou hoje, dia 1 de setembro, que o verão de 2020 vai deixar uma “ferida profunda” nas áreas do planeta cobertas por gelo, depois de uma onda de calor no Ártico.

    Segundo a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), as temperaturas no Ártico estão a subir duas vezes mais depressa em relação à média global, fazendo diminuir o gelo marítimo, provocando o colapso de uma importante plataforma de gelo no Canadá e contribuiu para aquilo que a porta-voz da OMM descreveu como “círculo vicioso”.

    “O declínio rápido do gelo marítimo, por sua vez, contribui para um maior aquecimento e, por isso, o círculo continua e as consequências não se limitam ao Ártico”, afirmou Clare Nullis, citada pela agência Associated Press durante uma conferência de imprensa na cidade suíça de Genebra.

    Em comunicado, a agência meteorológica afirmou que nos últimos meses foram estabelecidos inúmeros novos recordes de temperatura, incluindo na cidade russa de Verkhoyansk, localizada na Sibéria a norte da linha do Círculo Polar Ártico, que atingiu os 38ºC no passado dia 20 de junho.

    “Aquilo a que assistimos na Sibéria este ano foi excecionalmente mau, foi excecionalmente severo”, afirmou a porta-voz, referindo uma onda de calor no Ártico, incêndios florestais recordes na Sibéria, um quase recorde nos baixos níveis de extensão do gelo marítimo e o colapso de uma das últimas plataformas de gelo intactas no Canadá.

    “O verão de 2020 vai deixar uma ferida profunda na criosfera (as regiões da Terra cobertas por gelo)” lamentou a OMM em comunicado, apontando uma “tendência preocupante” de inundações resultantes de explosões de lagos glaciares, que se estão a tornar “um fator crescente de alto risco em muitas partes do mundo”.

    No final de julho, uma área de 81 quilómetros quadrados da plataforma de gelo Milne, no Canadá, desintegrou-se, reduzindo a área total da plataforma em 43%, segundo a agência. As consequências incluem a perda de um ecossistema raro, a possível aceleração do deslizamento de glaciares em direção ao oceano e consequente subida do nível médio do mar, e a criação de novas “ilhas de gelo à deriva”. Na próxima semana, a agência meteorológica vai divulgar um relatório do impacto das alterações climáticas na criosfera.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Mundo
  • Ecossistema
  • Degelo
  • Natureza
  • Temperatura
  • Ártico
  • Meio Ambiente
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
março 05
Vai embora a chuva: regressa o sol no fim de semana
março 04
Surfista em dificuldades auxiliada no Guincho
março 04
Forte sismo sentido na Nova Zelândia: alerta de tsunami já foi levantado
março 04
Previsão de chuva deixa 6 distritos sob aviso amarelo
março 04
Criados dispositivos que geram energia elétrica a partir das ondas
março 03
Chuva regressa esta quinta-feira: 3 distritos sob aviso amarelo
março 04
Wave by Wave de Zé Ferreira em organização mundial de Surf Terapia