Homepage

  • 10 factos estatísticos (impressionantes) sobre Teresa Bonvalot
    21 setembro 2020
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Jorge Matreno/ANSurfistas
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Teresa tem sido atriz principal na evolução brutal que o surf feminino português sofreu na última década.
  • Teresa Bonvalot carimbou este domingo, durante o Renault Porto Pro, o título nacional de 2020. Foi o terceiro título da carreira da jovem surfista de Cascais, que tem apenas 20 anos. Este foi mais um feito numa ainda curta mas já impressionante carreira, de uma dos mais precoces talentos alguma vez surgidos no surf nacional e que promete ficar na história eterna do surf feminino do nosso país.

    Teresa tem sido atriz principal na evolução brutal que o surf feminino português sofreu na última década, contando com a ajuda - e simultaneamente ajudando-as – de uma mão cheia de outras protagonistas, que colocam Portugal num patamar que nunca antes teve a nível internacional. Aliás, Teresa Bonvalot conta no currículo com dois títulos europeus juniores da WSL, tendo sido a primeira portuguesa da história a consegui-lo.

    Esta pode ter sido “apenas” mais uma conquista de Teresa Bonvalot, mas foi também a confirmação de um momento de forma incrível e da recuperação de um estatuto que havia perdido durante os últimos anos, a de surfista número um portuguesa dentro de portas. Afastada do título nacional desde 2015, em 2020 Teresa foi one woman show na Liga MEO Surf e conquistou um triunfo que só os mais desatentos poderão questionar.

    Eis 10 factos estatísticos (impressionantes) sobre a carreira de Teresa Bonvalot:

    - Estreou-se na Liga MEO Surf em 2012, com apenas 12 anos. Na primeira etapa que fez terminou num 5.º posto (meias-finais) – posição que repetiu nas restantes cinco etapas desse ano, terminando no 7.º posto do ranking;

    - Teresa alcançou a primeira final da carreira com apenas 13 anos, em 2013 – ainda ganhou mais uma etapa nesse ano, terminando no 3.º posto do ranking;

    - Conquistou o primeiro título da carreira aos 14 anos, em 2014, tornando-se na mais jovem surfista a consegui-lo, a par de Carina Duarte. Repetiu o feito no ano seguinte, com 15 anos;

    - Ao todo já venceu 19 etapas da Liga MEO Surf - média de 2,11 vitórias por ano -, estando a apenas 5 triunfos de igualar o recorde da histórica Patrícia Lopes (24);

    - Teresa já competiu em 45 etapas da Liga MEO Surf, com as 19 vitórias obtidas a representarem uma percentagem de sucesso de 42,2 - consegue uma vitória a cada 2,37 etapas.

    - Desde que venceu pela primeira vez, a maior “seca” que a surfista de Cascais atravessou foi de apenas quatro etapas sem vencer. Algo que aconteceu entre 2016 - único ano, a par de 2012, em que não venceu etapas, sobretudo porque faltou a três devido a uma maior aposta na carreira internacional - e 2017.

    - Dessas 45 etapas que já realizou atingiu a final em 25 delas, ficando de fora do heat decisivo em apenas 17 ocasiões. Falamos de 62% de eficácia em termos de finais. Destaque para o facto de em 2014 e 2015 ter atingido sempre a final, somando 12 só nessas duas temporadas!

    - A nova campeã nacional tem vantagem no confronto direto sobre todas as nove surfistas que já enfrentou na fase woman-on-woman – o registo mais folgado é frente a Kika Veselko (3-0) e Yolanda Hopkins (6-3), enquanto o mais equilibrado é com Carolina Mendes (3-2);

    - A nova número um nacional já venceu etapas em 9 locais diferentes: Porto, Peniche, Costa de Caparica, Ílhavo, Ericeira, Sintra, Cascais, Figueira da Foz e Algarve. Na realidade, já venceu em todos(!) os locais em que competiu na Liga MEO Surf. O sítio onde mais venceu foi no Porto, com cinco triunfos. Curiosamente, foi lá que venceu a primeira vez e, agora, foi igualmente ali que se sagrou campeã nacional pela terceira vez;

    - Teresa Bonvalot também é dominadora em termos de sub-troféus e os números comprovam a ideia de muita gente sobre os estragos que a surfista de Cascais faria caso entrasse na prova masculina. Teresa é a recordista de vitórias do prémio Somersby Onda do Outro Mundo, desde que este começou, em 2017. Mesmo sendo uma disputa entre homens e mulheres, Teresa já conseguiu ter a onda mais pontuada em 6 etapas – Vasco Ribeiro é o mais direto perseguidor, com 4 triunfos. Já no prémio Bom Petisco Girls Score, que começou este ano e premeia o melhor score feminino de cada etapa, Teresa já conta com três vitórias em quatro etapas…

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Teresa Bonlavot
  • liga meo surf
  • Renault Porto Pro
  • Fotografia
    Jorge Matreno/ANSurfistas
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
outubro 23
A hora vai mudar: relógios atrasam 60 minutos na madrugada de domingo
outubro 25
Rodrigo Carrajola e Jaime Bonito renovam os títulos nacionais de bodysurf
outubro 24
Do susto ao título: Joana Schenker é heptacampeã nacional de bodyboard
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 24
Guincho recebe etapa única do Nacional de Bodysurf
outubro 23
Fim de semana chega com sábado soalheiro e chuva no domingo
outubro 23
Três surfistas resgatados na Praia da Barra
pub