Homepage

  • Drones podem vir a recolher lixo das praias portuguesas após 2022
    29 setembro 2020
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    UC | Karine Paniza
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Desde 2018 que já existe um projeto de localização e mapeamento do lixo marinho em três areais da Figueira da Foz.
  • A utilização de aparelhos aéreos não tripulados, vulgarmente conhecidos por drones, para recolher lixo depositado nas praias costeiras portuguesas é o objetivo de uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), a ser operacionalizado depois de 2022.

    A equipa de investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra (INESC) tem em curso, desde 2018, um projeto de localização e mapeamento do lixo marinho em três areais da Figueira da Foz, mas para o futuro a ideia é que os próprios drones possam recolher os detritos acumulados na praia e nas dunas circundantes, constituídos, maioritariamente, por resíduos de plástico.

    “O futuro é obviamente os drones limparem as praias, já não estamos muito longe. Esta primeira etapa é de mapeamento e localização do lixo e numa segunda etapa irá um drone mais potente, com uma mão robotizada, pegar no lixo e trazê-lo. O lixo menos pesado”, disse à agência noticiosa Lusa Gil Gonçalves, docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e investigador do INESC.

    Em declarações à margem de uma sessão de demonstração, realizada na Praia da Leirosa, no sul do concelho da Figueira da Foz, Gil Gonçalves estimou que após o término da atual investigação, daqui por dois anos, será possível existir um projeto relacionado com a recolha de lixo pelos aparelhos aéreos não tripulados.

    De acordo com informação disponibilizada pela UC, a investigação em curso, que inclui também cientistas do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-UC) e Universidade Nova de Lisboa (NOVA.ID_MARE), utiliza “sensores óticos e multiespectrais para a deteção, busca e inspeção autónoma de lixo marinho em áreas costeiras”.

    Por outro lado, o projeto engloba dois aparelhos aéreos distintos: um drone de baixo custo (low-cost), idêntico aos disponíveis comercialmente a qualquer interessado, que regista a “abundância” de lixo existente nas praias, isto é, permite perceber a quantidade existente e outro aparelho “mais caro” que serve para caracterizar o tipo de lixo, como saber se é plástico, esferovite ou outro material", frisou Gil Gonçalves.

    Segundo este, o sistema utiliza igualmente componentes de inteligência artificial para “categorizar automaticamente o lixo” e permitir a sua recolha, agora ainda com recurso aos meios tradicionais.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Praia
  • Mar
  • Portugal
  • Teste
  • Drone
  • Ação de Limpeza
  • Limpeza de Praia
  • Recolha de lixo
  • Fotografia
    UC | Karine Paniza
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
julho 25
E fez-se história! Prova de surf já rola nos Jogos Olímpicos de Tóquio'2020
julho 24
Onde podemos ver a primeira prova olímpica de surf da história?
julho 24
Seis seleções nacionais vão a jogo em Tóquio'2020 com o máximo de surfistas possíveis
julho 24
Costarriquenho Carlos Muñoz é o substituto de Kikas em Tóquio’2020
julho 23
Seleção Nacional de Surf presente na Cerimónia de Abertura de Tóquio'2020
julho 23
O surf é imprevisível e ainda mais numas Olimpíadas em plena pandemia
julho 21
Este sábado há recolha de lixo marinho no Porto da Nazaré