Homepage

  • Drones podem vir a recolher lixo das praias portuguesas após 2022
    29 setembro 2020
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    UC | Karine Paniza
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Desde 2018 que já existe um projeto de localização e mapeamento do lixo marinho em três areais da Figueira da Foz.
  • A utilização de aparelhos aéreos não tripulados, vulgarmente conhecidos por drones, para recolher lixo depositado nas praias costeiras portuguesas é o objetivo de uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), a ser operacionalizado depois de 2022.

    A equipa de investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra (INESC) tem em curso, desde 2018, um projeto de localização e mapeamento do lixo marinho em três areais da Figueira da Foz, mas para o futuro a ideia é que os próprios drones possam recolher os detritos acumulados na praia e nas dunas circundantes, constituídos, maioritariamente, por resíduos de plástico.

    “O futuro é obviamente os drones limparem as praias, já não estamos muito longe. Esta primeira etapa é de mapeamento e localização do lixo e numa segunda etapa irá um drone mais potente, com uma mão robotizada, pegar no lixo e trazê-lo. O lixo menos pesado”, disse à agência noticiosa Lusa Gil Gonçalves, docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e investigador do INESC.

    Em declarações à margem de uma sessão de demonstração, realizada na Praia da Leirosa, no sul do concelho da Figueira da Foz, Gil Gonçalves estimou que após o término da atual investigação, daqui por dois anos, será possível existir um projeto relacionado com a recolha de lixo pelos aparelhos aéreos não tripulados.

    De acordo com informação disponibilizada pela UC, a investigação em curso, que inclui também cientistas do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-UC) e Universidade Nova de Lisboa (NOVA.ID_MARE), utiliza “sensores óticos e multiespectrais para a deteção, busca e inspeção autónoma de lixo marinho em áreas costeiras”.

    Por outro lado, o projeto engloba dois aparelhos aéreos distintos: um drone de baixo custo (low-cost), idêntico aos disponíveis comercialmente a qualquer interessado, que regista a “abundância” de lixo existente nas praias, isto é, permite perceber a quantidade existente e outro aparelho “mais caro” que serve para caracterizar o tipo de lixo, como saber se é plástico, esferovite ou outro material", frisou Gil Gonçalves.

    Segundo este, o sistema utiliza igualmente componentes de inteligência artificial para “categorizar automaticamente o lixo” e permitir a sua recolha, agora ainda com recurso aos meios tradicionais.

     

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Praia
  • Mar
  • Portugal
  • Teste
  • Drone
  • Ação de Limpeza
  • Limpeza de Praia
  • Recolha de lixo
  • Fotografia
    UC | Karine Paniza
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
outubro 23
A hora vai mudar: relógios atrasam 60 minutos na madrugada de domingo
outubro 25
Rodrigo Carrajola e Jaime Bonito renovam os títulos nacionais de bodysurf
outubro 24
Do susto ao título: Joana Schenker é heptacampeã nacional de bodyboard
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 24
Guincho recebe etapa única do Nacional de Bodysurf
outubro 23
Fim de semana chega com sábado soalheiro e chuva no domingo
outubro 23
Três surfistas resgatados na Praia da Barra
pub