Homepage

  • Desastre ambiental nas Maurícias: Governo prende capitão do navio
    19 agosto 2020
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • O navio japonês ‘MV Wakashio’ bateu num recife de coral perto da ilha do Oceano Índico a 25 de Julho e começou a derramar combustível a 6 de Agosto.
  • As ilhas Maurícias enfrentam uma das piores ameaças ambientais que há memória, depois do derrame de petróleo por parte de um navio de carga japonês que por ali encalhou. O acidente continua a ter graves repercussões no ecossistema local e, agora, segundo a agência Reuters, o governo local mandou prender o capitão do navio.

    “Prendemos o capitão do navio e um outro tripulante. Depois de serem ouvidos pelo tribunal não foi paga qualquer fiança, pelo que ainda se encontram detidos», disse o inspetor Siva Coothen, citado pela Reuters. O capitão do navio, que irá levar meses a ser removido, terá tido uma conduta inapropriada nos momentos que antecederam o acidente.

    A guarda costeira das Maurícias tentou várias vezes entrar em contacto com o navio para avisar que o seu curso era perigoso, mas não obteve qualquer resposta, disse à Reuters um agente da polícia marítima com conhecimento do incidente, sob condição de anonimato.

    “A rota traçada cinco dias antes do acidente estava errada e o sistema de navegação do barco sinalizou essa informação à tripulação, que aparentemente ignorou. O navio também não conseguiu enviar um pedido de SOS (quando encalhou) e não respondeu às tentativas de contacto por parte da guarda costeira”, afirmou o responsável.

    O navio japonês ‘MV Wakashio’ bateu num recife de coral perto da ilha do Oceano Índico a 25 de Julho e começou a derramar combustível a 6 de Agosto, levando o governo a decretar um estado de “emergência ambiental” no dia seguinte.

    O derrame de petróleo espalhou-se por uma vasta área de corais, peixes e espécies marinhas ameaçadas de extinção, no que alguns cientistas classificaram como o pior desastre ecológico do país. Tripulações de emergência e alguns habitantes locais conseguiram remover a maior parte do combustível que ainda circulava nas águas, usando mechas de cabelo e folhas de bambu.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Ilhas Maurícias
  • Petróleo
  • Japão
  • Navio
  • Recifes de Coral
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
outubro 24
Guincho recebe etapa única do Nacional de Bodysurf
outubro 23
Três surfistas resgatados na Praia da Barra
outubro 23
Fim de semana chega com sábado soalheiro e chuva no domingo
outubro 23
Câmara de Viana do Castelo cria Linha SOS para ocorrências com animais selvagens
outubro 23
A hora vai mudar: relógios atrasam 60 minutos na madrugada de domingo
outubro 22
Bernardo Jerónimo despede-se do Frontón King 2020 com eliminação na 4ª ronda
outubro 23
Uma sessão histórica de ondas grandes no Havai em 1998 (VÍDEO)
pub