Homepage

  • Desastre ambiental nas Maurícias: Governo prende capitão do navio
    19 agosto 2020
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • O navio japonês ‘MV Wakashio’ bateu num recife de coral perto da ilha do Oceano Índico a 25 de Julho e começou a derramar combustível a 6 de Agosto.
  • As ilhas Maurícias enfrentam uma das piores ameaças ambientais que há memória, depois do derrame de petróleo por parte de um navio de carga japonês que por ali encalhou. O acidente continua a ter graves repercussões no ecossistema local e, agora, segundo a agência Reuters, o governo local mandou prender o capitão do navio.

    “Prendemos o capitão do navio e um outro tripulante. Depois de serem ouvidos pelo tribunal não foi paga qualquer fiança, pelo que ainda se encontram detidos», disse o inspetor Siva Coothen, citado pela Reuters. O capitão do navio, que irá levar meses a ser removido, terá tido uma conduta inapropriada nos momentos que antecederam o acidente.

    A guarda costeira das Maurícias tentou várias vezes entrar em contacto com o navio para avisar que o seu curso era perigoso, mas não obteve qualquer resposta, disse à Reuters um agente da polícia marítima com conhecimento do incidente, sob condição de anonimato.

    “A rota traçada cinco dias antes do acidente estava errada e o sistema de navegação do barco sinalizou essa informação à tripulação, que aparentemente ignorou. O navio também não conseguiu enviar um pedido de SOS (quando encalhou) e não respondeu às tentativas de contacto por parte da guarda costeira”, afirmou o responsável.

    O navio japonês ‘MV Wakashio’ bateu num recife de coral perto da ilha do Oceano Índico a 25 de Julho e começou a derramar combustível a 6 de Agosto, levando o governo a decretar um estado de “emergência ambiental” no dia seguinte.

    O derrame de petróleo espalhou-se por uma vasta área de corais, peixes e espécies marinhas ameaçadas de extinção, no que alguns cientistas classificaram como o pior desastre ecológico do país. Tripulações de emergência e alguns habitantes locais conseguiram remover a maior parte do combustível que ainda circulava nas águas, usando mechas de cabelo e folhas de bambu.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Ilhas Maurícias
  • Petróleo
  • Japão
  • Navio
  • Recifes de Coral
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
abril 15
Surfista entre as candidatas a porta-estandarte de França em Tóquio
abril 14
Tóquio'2020: Participantes vão ser sujeitos a 'quarentena adaptada'
abril 14
Portugal integra projeto para mitigar impacto da pesca de cetáceos
abril 14
Polícia Marítima não registou incidentes no Allianz Ericeira Pro
abril 14
Portugal é o 3º país da Europa que mais pesca tubarão e raia
abril 14
Apreendidos cerca de 76 kg de ouriços-do-mar em Vila Praia de Âncora
abril 14
Chuva, por vezes forte, coloca 9 distritos sob aviso amarelo