Homepage

  • Em três meses, Portugal emitiu menos 1,4 milhões de toneladas de CO2 na produção de eletricidade
    03 junho 2020
    arrow
    arrow
  • Segundo a ZERO, de 14 de março a 11 de maio não foi usado carvão em Portugal para a produção de electricidade e as duas centrais térmicas de Sines e Pego não funcionaram.
  • Quem o diz é a associação ambientalista ZERO. Portugal conseguiu reduzir as emissões de dióxido de carbono na produção de electricidade em 1,4 milhões de toneladas nos últimos três meses. 

    Segundo a ZERO, de 14 de março a 11 de maio não foi usado carvão em Portugal para a produção de electricidade e as duas centrais térmicas de Sines e Pego não funcionaram, o que “conduziu a uma redução inédita e sem precedentes das emissões de gases com efeito de estufa em Portugal”.

    Os dados das Redes Energéticas Nacionais (REN) relativos a março, abril e maio, em comparação com o período homólogo de 2019, permitiram à organização ambientalista calcular uma diminuição de emissões superior a 1,4 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2): 370 mil toneladas em março, 590 mil toneladas em abril e 475 mil toneladas em maio.

    Pelas contas da ZERO, as emissões médias diárias de CO2, associadas à produção de electricidade, recuaram de 28 mil toneladas/dia entre março e maio de 2019 para 12 mil toneladas/dia em igual período deste ano.

    A associação destaca também que, nos três últimos meses, houve um aumento de 15% de fontes renováveis na produção de electricidade, em comparação com o período homólogo de 2019, passando de 60% para 75%.

    A pandemia de Covid-19 tem alguma influência nos resultados dada a maior oferta de electricidade em países próximos, principalmente Espanha, devido às quebras de consumo, fornecida a preços mais reduzidos, conduzindo a maiores volumes de importação.

    Para a ZERO, o já anunciado fim das centrais a carvão - Pego em 2021 e Sines em 2023 - está na prática a ter lugar, lembrando que as duas infraestruturas “são responsáveis por uma quantidade muito significativa das emissões de carbono”.

    “As actuais paragens das centrais do Pego e de Sines mostram que é possível a sua retirada do sistema sem pôr em causa a segurança do abastecimento de electricidade no país”, indica a nota.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Portugal
  • Associação Sistema Terrestre Sustentável - Zero
  • Zero
  • Eletricidade
  • Emissões
  • CO2
  • Dióxido de Carbono
  • Natureza
  • Meio Ambiente
  • Carvão
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
outubro 22
Manuel Gameiro, do Ribatejo para o topo do surf nacional
outubro 21
Salvamentos aumentaram nas praias portuguesas na época balnear de 2020
outubro 22
Cerca de 1 milhão de toneladas de equipamentos de pesca chega aos oceanos anualmente
outubro 22
BV2, o novo modelo da Chilli Surfboards já está disponível em Portugal
outubro 22
Surfista preso em zona de falésia é resgatado em Aljezur
outubro 22
Bernardo Jerónimo avança mais uma ronda no Frontón King 2020
outubro 22
Bom Petisco Cascais Pro alimentado a 60% com energia solar
pub