Homepage

  • Tragédia na Holanda despoletada por “avalanche de espuma”
    22 maio 2020
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Tratavam-se de surfistas locais e experientes, com idades compreendidas entre os 22 e 38 anos.
  • Vários dias depois da tragédia que vitimou cinco surfistas numa praia de Haia, na Holanda, o surf holandês ainda continua de luto por um dos acidentes mais inesperados e insólitos alguma vez registados no mar. As investigações das autoridades locais ao sucedido continuam e algumas testemunhas afirmam que tudo se deveu a uma verdadeira “avalanche de espuma” criada pela repentina mudança da direção do vento.

    Pat Smith é um dos surfistas locais mais experientes e falou recentemente ao site da WSL sobre o dia negro na praia de Scheveningen. Apesar de surfar habitualmente naquela que é considerada uma das ondas mais procuradas da Holanda, naquele dia Pat optou por não entrar no mar, uma vez que a maré não se apresentava certa e as condições não eram favoráveis.

    Terá sido pouco depois que a ação do vento causou o fenómeno da espuma, que não é novo por aquelas bandas. “Todos os anos acontece isto da espuma, mas nunca tinha visto nada assim, era muito espessa”, relata o surfista holandês, explicando que a mesma deveria ter aproximadamente 2 metros de altura.

    “Nesse dia preferia ir fazer um treino em vez de ir ao mar e deixei o meu telemóvel no carro. Quando cheguei tinha cerca de 80 chamadas não atendidas. Quando cheguei à praia já estava a decorrer a operação de resgate”, lembrou Par Smith, que garante que as vítimas eram surfistas bem experientes.

    Dois dos surfistas, como já havia sido mencionado, era mesmo nadadores salvadores, e Pat revela que até tinha estado na Austrália e tirar cursos junto das reputadas associações de desportos aquáticos australianas. “Temos de ter especialistas a analisar o sucedido, mas penso que foram apanhados pela espuma e ficaram desorientados”, frisou.

    As autoridades locais resgataram apenas um surfista com vida durante as operações. Outros quatro foram retirados sem vida e um quinto corpo foi visto a boiar, mas acabou por nunca ser recuperado. Tratavam-se de surfistas locais e experientes, com idades compreendidas entre os 22 e 38 anos, que, segundo os relatos, tiveram o azar de estar no sítio errado na hora errada, sendo apanhado por um fenómeno raramente visto.

    “As pessoas desta região sabem que o mar dá, mas também tira, mas a forma como estas jovens vidas foram perdidas é terrivelmente cruel e surreal”, disse Johan Remkes, presidente da câmara de Hague. “Eram jovens, desportistas e atléticos. Conheciam o mar como a palma das suas mãos”, sublinhou o responsável.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Holanda
  • surf
  • tragédia
  • mortes
  • espuma
  • Fotografia
    wsl
  • Fonte
    redação
similar News
similar
novembro 29
João Aranha: 'Dapin será sempre uma referência fundamental no surf nacional'
novembro 29
Surf português chora perda de 'Dapin'
novembro 29
Nasce na Madeira a maior área marinha da Europa com proteção total
novembro 26
Último fim de semana de novembro vai ter um pouco de tudo: frio, sol, nuvens, vento e aguaceiros
novembro 26
Já há nova data para a etapa inaugural do circuito Billabong Ericeira 2021 para as categorias Open, Masters e Feminino
novembro 26
Ítalo quer competir até aos 38 anos: 'Vou durar bastante tempo'
novembro 28
Lendário Reno Abellira sai do coma, após brutal agressão em Ala Moana