Homepage

  • De quarentena? 10 filmes de surf para ver nos próximos dias
    18 março 2020
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Eis algo para ajudar a manter a cabeça fresca nos próximos dias.
  • Os próximos dias, talvez semanas, prevêem-se de quarentena em todo o país. Infelizmente, e pelos piores motivos. Contudo, estando isolado, é necessário manter a cabeça ocupada, sobretudo nos casos em que não existe a possibilidade de trabalhar a partir do próprio lar. Dessa forma, tudo serve como ocupação. Fazer exercício físico, ouvir música ou ver filmes. E se falamos em filmes, por que não falar especificamente de filmes de surf?

    Quer seja através de canais temáticos na televisão ou na internet - não querendo influenciar os nossos leitores a práticas de pirataria... -, eis alguns filmes que vos poderão fazer uma bela companhia nos próximos dias. E, já sabem, mantenham-se seguros!

    Atenção, esta é uma lista aleatória e com opções para todos os gostos. Não a interpretem como uma lista dos 10 melhores filmes, pois há muitos e bons a ficarem de fora. Nesta lista concreta, temos de tudo: filmes de surf core, histórias verídicas, produções mais indie, “filmes-pipoca”… De tudo um pouco. E com um bónus!

     

    Big Wednesday – Comecemos pelos históricos. Este é provavelmente um dos filmes mais vistos pelos amantes de surf. Uma das poucas histórias de deslizar nas ondas que conseguiu ganhar fama global, extrapolando o próprio surf. Foi também uma das produções que mais influenciou gerações. A história dos três amigos californianos tem quase 40 anos, mas mantém-se atual. Se nunca o viu está aqui a oportunidade ideal. Se já o viu, podem muito bem ver novamente!

    Point Break (Original) – Também com bastante história e com uma enorme adesão que extrapolou o surf, o filme que em português era conhecido como “Ruptura Explosiva” e que contava a história de um grupo de amigos, ladrões e amantes de desportos radicais, incluindo surf, e de um polícia interpretado pelo ainda jovem Keanu Reeves, foi um marco nos anos 90. Poucos sabem, mas foi protagonizado por Kathryn Bigelow, que anos mais tarde se tornou na primeira mulher a vencer um Oscar para melhor realização, com Estado de Guerra. O filme termina com a realização do sonho de Bodhi, personagem interpretada pelo malogrado Patrick Swayze, em surfar a onda do século - que, aqui entre nós, ficava muito aquém daquilo que se vê atualmente, por exemplo, na Nazaré. Um último conselho: mais vale rever o original, do que ver o remake pela primeira vez…

    View From The Blue Moon – Vamos agora para o surf puro e duro, para aqueles que gostam mesmo de ver é ação em cima de uma prancha. Aqui não há duplos, nem ficção. É uma produção recente e enfeitiçou muitos dos que a viram, sobretudo pelas filmagens, novos ângulos e tudo o que envolve esta obra-prima levada a cabo por John John Florence. Estava no pico da sua forma, tinha acabado de ser campeão mundial… mas por vezes ficamos mais impressionados com o que se passa fora de água, do que propriamente com o surf.

    Chasing Mavericks – No apogeu do surf como uma moda cada vez mais global, em meados desta década, a história do adolescente Jay Moriarity irrompeu pelos cinemas e conseguiu algum destaque. Para quem gosta de ondas grandes, sobretudo de Mavericks, esta é uma excelente oportunidade de ficar a conhecer mais sobre a meca dos big riders. Tem uma história bonita, daquelas capaz de fazer verter uma lágrima aos mais sensíveis. Um balde de pipocas caseiras é sempre uma boa opção para acompanhar. No entanto, em defesa deste Chasing Mavericks está o facto de ser baseado numa história verídica – quem nunca viu a icónica capa da revista Surfer de maio de 1995?

    Dogtown and Z-Boys – Mais um clássico, que tem dupla opção. Este título em concreto trata-se de um documentário com o cunho de Stacy Peralta, um dos Z-Boys originais. Mas se gostam mais de uma história hollywoodesca, podem optar por Lords of Dogtown. O primeiro tem narração de Sean Penn. O segundo conta no elenco com nomes como Heath Ledger - e Stacy Peralta também esteve na produção. Ambos abordam um dos grupos que mais influenciou o skate californiano, norte-americano e mundial. Mas isto não é apenas um filme de skate, pois também mostra a relação de irmandade que sempre houve entre o surf e o skate na Califórnia e a forma como ambos se ajudaram a evoluir. Um conselho: vejam ambos!

    Endless Summer – Este é outro filme antigo, mas que continua sempre atual, e que rivaliza, de certa forma, com Big Wednesday pelo título de melhor filme de surf de sempre. Este é uma história de meados da década de 60 que relata a jornada aventureira de dois amigos em redor do mundo, à procura de spots de surf, alguns deles agora bem famosos, e sempre com a inconfundível e incrível narração do realizador Bruce Brown. Uma obra-prima que passou por vários países, desde a Oceânia até África e que contou com a aparição de nomes míticos como Miki Dora. Um clássico! Vejam ou revejam, se for esse o caso…

    A Fly in the Champagne – Estamos em 2009 num período em que Andy Irons já tinha baixado a guarda em relação a uma das maiores rivalidade do surf e do desporto mundial. Se gostam de muita ação, eis mais um filme de surf. Mas com a história única de uma rivalidade gigante pelo meio. Uma produção que juntou Irons e Kelly Slater, pouco tempo antes do havaiano partir tragicamente, e que aborda a ligação de ambos. Uma relação que ajudou a elevar o surf a outro nível. Mas se quiserem algo mais "fresco" sobre o tema, então aventurem-se no mais recente filme sobre Irons: Kissed by God.

    Otelo Burning – Opção menos mediática, mais fora da caixa, mas muito, muito boa. Em pleno Apartheid, um jovem negro aventura-se na prática do surf. Algo que em 1988 não era assim tão simples. A partir daí seguimos a vida desse jovem e do grupo de amigos, numa história emotiva e explosiva. Um drama que tem tanto de surf, como de lição de vida. Não estamos a mentir. Vale mesmo a pena!

    Soul Surfer – Esta é uma das histórias mais inspiradoras do surf mundial – e bem que precisamos de inspiração e exemplos de superação nesta altura. A havaiana Bethany Hamilton ficou sem um braço aos 11 anos de idade, após sofrer um ataque de tubarão. Era uma das maiores esperanças do surf mundial, mas nem essa contrariedade a impediu de seguir o seu sonho. Tornou-se surfista profissional e competiu – e ainda compete – frente às melhores do Mundo. Uma história que rapidamente chegou a Hollywood. Também dá para comer um balde de pipocas e ver em família.

    Riding Giants – Eis mais uma produção com o dedo de Stacy Peralta. Este é um documentário que incide sobre o surf de ondas grandes. Uma viagem aos primórdios do mesmo, no Havai, que tem como protagonistas Greg Noll, Jeff Clark (o pai de Mavericks) e o eterno Laird Hamilton. É uma película que ajuda a perceber um pouco da evolução do surf de ondas grandes e onde a adrenalina é em doses extra!

    Extra:

    Surf’s Up – Estão com os miúdos em casa a dar em doidos. Eis a solução! Pelo menos por umas horas. Este é um filme de animação, mas também de surf. E acreditem que os miúdos vão ficar rendidos à arte de descer ondas em cima de uma prancha!  

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • filmes de surf
  • surf
  • Cinema
  • Coronavírus
  • filmes
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
janeiro 22
Encerrado acesso às praias da Arrábida e à zona ribeirinha de Setúbal
janeiro 23
COI nega 'categoricamente' cenário de cancelamento de Tóquio'2020
janeiro 20
Município de Ovar determina encerramento das praias
janeiro 21
Requerido TUPEM para instalação de um cabo submarino de telecomunicações de Almada à Madeira
janeiro 21
Carcaça de baleia de 70 toneladas removida perto de Nápoles
janeiro 22
The Keg, a nova prancha de Wade Carmichael já chegou a Portugal
janeiro 22
Fim de semana vai ser cinzento e com chuva